seta

284 postagens no blog

Preso não é mercadoria podre.

04/08/2012 15:28

Pois é, gente. Os presos, de um modo geral, são tratados como mercadoria velha, usada, sem jeito de voltar a ser utilizada no futuro.

Por isso, os depósitos de presos, principalmente nas cadeias, verdadeiros campos de concentração, só faltando a câmara de gás para eliminá-los definitivamente da sociedade.

Não estou aqui para defender criminosos, até porque acho que devem pagar, e muito bem, pelos crimes cometidos.

Só que, o sistema que os coloca em lugares e em situações inadequadas já começa a pensar que é muito melhor tentar reintegra-los e ressocializá-los para que não voltem à vida livre mais bem formados para o mundo do crime.

Tudo isto, para dizer que tive a oportunidade de conhecer o Núcleo de Ressocialização da Capital, pertencente ao Sistema Penitenciário e que, com 97 reeducandos, começa a mostrar um trabalho educativo, incluindo a laborterapia, de primeira qualidade.

Fiz lá um programa de TV entre autoridades, reeducandos e reeducandas e realmente sentí que é o caminho.

Um caminho absolutamente do bem que oportuniza os sentenciados a encontrarem um mundo do amanhã bem melhor e mais proveitoso.

Inibir a liberdade é perfeito, mas desde que a prisão seja reformadora e não formadora de assassinos, traficantes, estupradores e todas as demais matérias que são ensinadas nas “faculdades do crime” que são os presídios comuns.

Portanto, vivas ao Núcleo que, realmente está fazendo a diferença.
 

seta

SAI DE BAIXO, RONALDO LESSA.!

31/07/2012 15:06

Até parece que o homem é um bicho papão.

Eu até acho que é. Quando começar a comer todos os votos por aí a fora.

Mas a turma do “te manda Ronaldo” não dá sossego e até um simples atraso no pagamento de uma multa e por conta de quem a emitiu provoca uma revolução, todo mundo achando que o homem ficou inelegível.

Não é nada disso, não tem nada a ver com “ficha limpa” e a tentativa de desmoralizar o candidato do PDT e de mais 11 partidos não vai dar em nada, é claro!

Até porque, o próprio juiz cumpriu o seu papel para que o candidato possa, através de recurso, explicar o que aconteceu e a insignificância do fato, cujo móvel já está até pago.

Deixem a campanha correr e que ganhe o melhor de voto.

Lessa não é bicho-papão.

Lessa é papa-voto!
 

seta

DA MISSÃO E EMOÇÃO DE SER BISAVÔ

28/07/2012 06:24

Estou aí, ativo, nos meus 74 anos, vivendo uma vida repleta, fazendo meus programas de televisão diariamente, exercendo uma função pública que muito me honra e, ao mesmo tempo, vendo o frutificar da família fazer-me chegar a uma das mais importantes missões e emoções de minha vida: ser bisavô.

Beatriz, ou Bia como já é chamada, chegou.

Filha de meu neto mais velho, Bruno, neta de minha querida filha, Christianne,uma das pérolas de minha vida.

Bia chega como uma máquina do tempo que me faz relembrar a vida, penitenciar-me por meus erros, ufanar-me por tantos mais acertos.

Bia vem lembrar-me que ela faz parte de uma família de bisavós, de avós, de pais, 13 filhos e 18 netos e que Deus está permitindo que eu já esteja fato vivido de seis gerações.

Bia vem com a luz do amor irradiando para todos os seus a sublimação da inocência, da esperança e da promessa de que o mundo continua precisando que nasçam mais e mais Bias amadas e desejadas.

Uma gota de lágrima quase me cai dos olhos nas teclas do meu notebook.

A mesma lágrima que eu desejo a tantos outros.

A lágrima de uma felicidade indescritível.

A mesma que caiu quando nasceu meu primeiro filho e depois quando chegou ao mundo meu primeiro neto.

Que Deus ilumine a vida de Bia como precursora de uma continuidade, como um elo de ligação entre dois mundos: o dos seus bisavós e dos seus futuros filhos, netos, bisnetos...
 

seta

QUEM QUER VENDER MAIS O BRASIL?

22/07/2012 18:17

Lamentavelmente este é um país bem vendido pelo lado ruim da questão.

Um país que ainda não entendeu o que é soberania, o que é orgulho de ser o que é e que não tem vergonha de vender segredos, de vender atitudes, de vender consciência.

Este é o país que vende votos, que vende informações privilegiadas, que vende outro tipo de votos que é o do legislador e que, portanto, deixa de lado os seus reais interesses para beneficiar os interesses pessoais ou de grupos.

Alguém informou que, se o país conseguisse reaver o dinheiro escoado pelo ralo da corrupção, apenas 20% dele, os seus problemas de saúde e de educação estariam resolvidos para os próximos cem anos.

Portanto, amigos, as crises que vivemos são muito nossas, provocadas por nós mesmos que ainda não conseguimos ser cidadãos na acepção da palavra.

Há cinquenta anos atrás, as margens do Rio Negro, na Amazônia, já eram ocupadas por americanos e grande parte do Pantanal já os recebia de braços abertos.

Naquela época dizia-se que o nosso nome antigo de “Estados Unidos do Brasil” era na realidade “Brasil dos Estados Unidos”,

Hoje tudo mudou, mas continuamos vendendo, até entre nós, este país que já foi o “país do futuro”, já vive um bom presente e precisa preservar sua vontade de ser uma grande potência.

Sem vendas nem trocas.
 

seta

Boato é um grande cabo eleitoral.

14/07/2012 15:28

                        Os americanos são “experts” no assunto boato, quando o usa como formador ou deformador de opinião, tanto nos processos industriais quanto nos processos eleitorais.

O boato tem a força avassaladora de destruição, podendo acabar com um produto lançado bastando que se espalhe notícia ruim em relação a ele, no lugar e no momento certos.

Lembro-me que, quando fui presidente de uma fábrica de cerveja na Bahia, nos idos de 1970, líderes que nos tornamos de mercado, depaaramo-nos também com uma bem montada estrutura de boatos da concorrente que espalhou pelo mercado que nossa cerveja provocava dor de cabeça.

Foi um trabalhão enorme para desfazermos o que quase nos derruba.

O mesmo acontece com a política e é preciso que o eleitor esteja atento para as notícias e que saiba fazer a diferença entre o certo e o errado, entre a verdade e a mentira.

Um boato inconsequente pode acabar com uma candidatura ou torna-la frágil o suficiente para que se escoe pelo ralo.

Essa prática é muito comum, portanto, o eleitor não pode ficar desavisado.

Analise tudo, veja de onde parte, procure ouvir opiniões de ambos os lados, estude os argumentos e os passe para os que não conseguem fazê-lo.

Bom lembrar que os boatos já estão por aí circulando e pretendendo fazer estragos nas eleições 2012.

seta

Primeira Edição © 2011