seta

67 postagens no blog

Empresário, Professor, Pós-graduado em Humanas, e Bacharel no curso de Direito Atuou na área Social e de Responsabilidade Social, ajudou na implantação e implementação do Instituto para o Desenvolvimento Social e Ecológico (IDESE) - OSCIP da Usina Coruripe.

Eu aviso sim onde tem blitz da Lei Seca...

04/02/2015 09:39

 Já se sabe o quão importante vem sendo os lugares onde encontramos os pontos de blitz da Lei Seca em todo o Brasil. Algo que pode ser comemorado por muitos desde sua promulgação em 2008 (Lei 11.705/08), e que vale enaltecer o seu bom papel diante da sociedade.     Sabemos também, que hoje em dia existem situações onde nos deparamos com diversas tecnologias, que beneficiam muito no caminhar da vida social, seja ela em qualquer esfera, nos auxiliando quando mais precisamos, otimizando nosso tempo diante do que queremos alcançar.  

Porém, essa mesma tecnologia disponível no mercado, que poderia levar benefício para muitos, agregando valores e informações no cotidiano, quando chega às mãos de alguns indivíduos, passa a ser uma ferramenta de uso não adequado, que, nos famosos grupos de whatsapp vem se transformando em algo sujo, contribuindo e aumentando ainda mais o conceito que o mundo tem do povo brasileiro... O de "esperto".
 
São pessoas que têm o prazer de compartilhar e pulverizar nesses grupos, o exato local onde podem ser encontradas essas blitz, e com isso, os imprudentes tenham tempo suficiente para desviar seu caminho, tornando o carro, uma arma branca fatal. E esses que saem por aí compartilhando desse tipo de informação, achando que estão fazendo o máximo nisso, contribuem diretamente para o crime, onde não se vê diferença alguma daquilo que conhecemos como "aviãozinho" do tráfico, levando drogas para usuários, já que muitos deles sequer fazem uso dos entorpecentes, apenas "ajudam".
 
Querer ser "amigo" no whatsapp praticando e compactuando com o crime, não traz benefício algum... Estão invertendo o conceito de amizade, assim como estão invertendo abruptamente os valores morais.
 
Por isso, colegas, amigos e familiares já sabem que não compactuo nem compartilho nos meus grupos de whatsapp desse tipo de informação, de mensagem... Não tenho interesse em ser esse tipo de "amigo".
 

Não saiam se vangloriando por aí dizendo: “eu aviso onde tem blitz da Lei Seca”...


Provavelmente só vão aprender quando atingir a própria família... Ou não.
 

seta

Eu não sou CHARLIE...Nunca!

25/01/2015 19:30

Querer fazer aquilo que bem entende, saindo por aí "vomitando" palavras, batendo, maltratando, especulando, julgando, e o pior, insultando qualquer que seja a circunstância, acreditando que estará resguardando na chamada: liberdade de expressão é no mínimo, um ato insano.
 
Mesmo tendo público, tendo pessoas apoiando e aplaudindo essas liberdades, isso não deve ser levado em consideração, pois o respeito ao próximo está acima de qualquer situação, de qualquer que seja o assunto, mesmo que este cidadão se ache livre, ou caso contrário não necessitaria de leis, de freios sociais no dia-a-dia junto a sociedade.
 
Fazemos aquilo que queremos sim, só que dentro de um contexto social, que tenha como princípio o respeito, uma regra, mesmo sendo pouco sentida ou vista na sociedade. E não estamos indo de encontro às manifestações populares, os protestos, as reivindicações... Apenas querendo dizer que o verbo a ser conjugado quando o assunto é respeito ao próximo, ao coletivo, é o Dever e não o Poder.
 
Pois, eu Posso sim, sair nu pela cidade a qualquer horário, mas diante de um freio social e moral, eu não Devo praticar tal ato.
 
Para um bom andamento e desenvolvimento de uma sociedade, é por demais importante, existir essa liberdade de expressão, principalmente hoje em dia, diante das inúmeras chances dadas nas redes sociais e etc. Mas não esquecendo que não devemos sair por aí dizendo que negro é macaco, que homossexual não é gente, que gordo é baleia, que o botafogo não é um time de chegada, e que a cor rosa não pode ser usada homem.
 
O que houve na sede do jornal em Paris foi algo triste sim, que não justifica o final trágico... Só que quem ultrapassa o limite da boa convivência e do respeito ao próximo, algum dia pode pagar caro por tanto abuso nas palavras expressas ou impressas...

 

Não cabe mais no mundo moderno qualquer tipo de discussão que venha a ferir opiniões divergentes sobre vários assuntos, principalmente quando estes envolverem Religião, Time e Política.

 

                                                                                                             

seta

2015 - Aprecie com moderação!

01/01/2015 18:51

Hoje inicia mais um ano, e com ele, toda uma lista de sonhos e desejos, seja no lado pessoal ou profissional. Algo, que de tão repetitivo, a cada 365 dias, não muda em nada para alguns, sendo apenas mais um ano de vida, sem novidades, sem desenvolvimento interpessoal, sem aprendizado... Enfim, sem evolução alguma.
 
Para um bom começo de ano, se faz necessário uma reflexão sobre “o que podemos melhorar enquanto ser humano?”, como por exemplo, olhar mais para o próximo sem haver interesse seja lá qual for. É também retirar do papel, ou ao menos tentar, realizar as atividades do cotidiano com maestria, sem pressa, sem a famosa correria, não apreciando o caminho, o trajeto a seguir.
 
Bom, é pensar em Desacelerar...
É Curtir cada momento...
É Apreciar cada detalhe...
Degustar cada oportunidade Sem Pressa, não apenas com o pensamento na melhor Selfie para portar no Facebook.
É Dar a vez ao próximo no trânsito, sem achar que estará perdendo alguns segundos, preferindo com isso, ser mal educado.
 
A pressa muitas vezes não tem um rumo positivo...
 
Não seja aquele passageiro, que na aterrissagem do avião, levanta todo afobado achando que a porta vai abrir somente por estar ali, de pé...
 
Por isso, bom pensar em Desacelerar...
 

seta

Ainda sobre o evento náutico da semana passada...

08/12/2014 19:52

Muitos foram os comentários e indignações do povo sobre lixo na praia, comportamento das pessoas, falta de banheiros químicos e etc.
 
Pudemos ler bons textos nas redes sociais de muitos que freqüentaram, ou não, este evento... Com isso faço aqui algumas perguntas:
 
Será que se tivessem lixeiras espalhadas em muitos pontos na areia da praia, teriam assim, evitado tamanha sujeira ao final do evento?
 
O lixo nas praias, somente acontece em eventos dessa magnitude?
 
Você é um cidadão educado quando vai à praia?
 

Quando não tem esse tipo de evento, qual o local usado pelos banhistas, para suas necessidades fisiológicas aos sábados e domingos?
 
Pois bem. A famosa foto compartilhada por vários alagoanos indignados, mostra exatamente como muitos se comportam a partir do momento que saem de casa, diariamente, e não apenas nas praias.
 
E uma última pergunta: Mesmo havendo lixeiras e banheiros químicos, o povo realmente está apto a usar estes equipamentos?

 

 Até o momento, não sei qual a surpresa do povo nisso tudo... Pois vejo o próprio, como grande culpado. 

 

seta

Embalador de supermercado – Rei e Súdito

24/11/2014 19:23

Com certeza você já viu muitos deles quando está concluindo sua feira.

Eles ficam no final dos caixas, aguardando os produtos já registrados, pra daí, exercerem sua função diária nos supermercados, ou então, no início do dia, aguardando indicação do chefe para saber se estão ou não escalados para tal.
 
São eles... Os embaladores de supermercados.
 
Diante de um mundo tecnológico em ascensão e de um gradativo desenvolvimento socioeducativo de muitos, fica sempre a pergunta no ar...

Será que realmente precisa de uma pessoa exercendo tal função?
 
Fico a pensar que isso ainda se trata de resquícios da escravidão, de um coronelismo existente no passado e que até hoje reflete no comportamento de muitos, simplesmente por acharem que tem que ter por obrigação, alguém realizando uma atividade subdesenvolvida, assim como os ascensoristas nos elevadores das empresas e órgãos públicos.
 
E o interessante nisso! É que muitos clientes ficam abusados, chateados e grosseiros quando não encontram esses ajudantes, e têm que abrir as devidas sacolinhas pra colocar seus pertences/produtos.
 

A empáfia de muitos, faz com que se coloquem num pedestal... Na poltrona do rei, humilhando os súditos.
 
Vale lembrar a realeza, que nos países desenvolvidos, não vai encontrar ninguém que faça este tipo de serviço nos supermercados, pois para uma cultura desenvolvida ou em desenvolvimento, não custa nada ajudar ao próximo, colocando em prática que todos são plebeus.
 

seta

Primeira Edição © 2011