seta

390 postagens no blog

CLARO QUE NÃO ESTÁ CLARO1

11/08/2014 13:58

                                    Não tem nada claro no mundo político que estamos vivendo.

Não tem nada claro naquilo que é proposto e naquilo que se pretende dizer.

Ou não se pretende.

Todas as vezes que tenho a oportunidade de estar com um candidato a cargo executivo, sempre deixo claro que não aceito mais ouvi-los dizendo que suas prioridades serão saúde, educação e segurança sem que tenham um projeto claro e visível que mostre o que pretendem realmente fazer para dar soluções aos problemas advindos desses problemas.

Não vejo candidatos pontuando projetos, cronogramando ações, sendo verdadeiros e dizerem o que podem e prometem fazer e o que não prometem porque não terão condições de fazer.

Seja porque dependerão do governo federal, seja porque não existirá dinheiro para tais propostas ou seja por inexeqüíveis mesmo.

O eleitor de hoje quer ouvir verdades e não promessas.

O eleitor quer ter confiança no candidato e só poderá tê-la se sentir verdade nas suas palavras e nos seus propósitos.

Um princípio que seja, porque a verdade mesmo,  só poderá aparecer nas ações posteriores com a eleição deste ou daquele. O fato é que nada fica claro no que se vê e se ouve até agora. 

seta

O ELEITOR PERDEU O TESÃO.

01/08/2014 08:13

                               Interessante ou nem tão interessante, como você encontra pessoas dizendo que não vão votar, que não querem, que não se interessam, que não existem candidatos que mereçam os seu votos e por aí vai, numa enorme fila que tende a aumentar.

A corrupção acelerada no país e a ainda impunidade fazem parte da enorme lista que serve de justificativa para que essas pessoas tratem o exercício do voto como algo que deixou de ser alvo de seus desejos e até mesmo de suas discussões.

Preocupante ver um país democrático ter seus habitantes passando por uma crise existencial tão grande.

E é existencial mesmo.

O dia a dia leva à inserção diária de fracassos, de roubos, de insegurança, de falta de educação e de cultura que nos levam a crer que o futuro do país perdeu suas bases mais importantes.

Aquelas bases primárias que calcaram a personalidade e o caráter de muitas gerações que já estão começando o ciclo da saída de circulação.

E como fica?

Exatamente passando para as gerações mais contemporâneas, o tesão – é esse o melhor termo – que tínhamos ao discutir política, ao votar, ao ajudar o Brasil a crescer.

E sem tesão, o que se pode esperar do eleitor a não ser uma total disfunção eleitoral?

seta

Quem será o novo "sacrificado" de Téo ao governo? (2)

25/07/2014 08:09

                         Eduardo Tavares desistiu em tempo de não deixar seu próprio nome queimado numa fogueira que não iria subir demais as suas chamas.

E agora, Téo?

Depois de esnobar os chamados candidatos palacianos, como Marco Fireman e Luiz Otávio Gomes, vai tentar voltar atrás ou vai buscar um outro nome para arriscar ainda mais?

Se não houver alguma coisa no bolso do colete do governador e isto pode incluir uma nova coligação ou um novo acordo com quem já está por aí, a coisa vai ficar tão preta no Palácio que os vidros vão ficar para lá de escuros.

Nesta sexta o PSDB e partidos aliados ( que não são muitos) estiveram reunidos buscando uma definição para o “imbroglio” que ele próprio, governador, arrumou.

E aí vieram as notícias de dentro do Hotel Jatiúca que, mesmo olhando para o mar azul, o que ficou definido é que nada foi definido.

Resolveram deixar as decisões para a próxima semana e, quem sabe, pode ser que apareça algum filho de Deus disposto a seguir as anti-regras do chefe que foi atordoado e atropelado por si próprio naquilo que poderia ser um belo encerramento de carreira.

Não foi.

Agora, é esperar.                 

 

seta

ESTÃO BRINCANDO COM FOGO

20/07/2014 07:42

                      Sinceramente, fazia tempo que eu não sentia medo de que uma enorme guerra pudesse tomar conta do mundo.

Mesmo na época da guerra fria, o nome está dizendo, era mais fria do que se supunha.

No entanto, agora, essa briga na Faixa de Gaza, envolvendo Israel, a velha luta pelos territórios palestinos e, sobretudo a matança de gente inocente, apesar de mísseis sendo interceptados pelo lado israelita mas não o sendo pelo lado de Gaza, tudo isso me assusta.

Assusta ainda mais, quando você vê Estados Unidos e Rússia em estado de tensão agravada pela situação de derrubada de um avião civil, agora já com o problema Ucrânia /  Rússia que cada vez mais se internacionaliza.

Não sou nenhum “expert” em relações internacionais, mas sabemos perfeitamente que as guerras começam assim, com medição de forças, com atos terroristas, com discussões de “alto nível” entre os líderes, mas sobretudo, com o envolvimento de problemas de ordem econômica que sói acontecer também naquelas áreas.

O papel a ser exercido pelas Nações Unidas é fundamental, mas o equilíbrio entre partes, principalmente as que não estão diretamente ligadas aos conflitos é de vital importância para que se busque a paz. E, amigos, uma guerra de maiores dimensões é, sem dúvida, antecessora de destruição do mundo.

Que se encontre, portanto, o entendimento nos pequenos núcleos de guerra, para que não tenhamos de enfrentar o que seria a 3ª Guerra Mundial. 

seta

Perdemos a Copa do Mundo. E daí?

10/07/2014 07:56

É bom ganhar.

Mas é bom saber perder.

Pior, muito pior, do que perder a Copa do Mundo é nem saber o que o nosso país perde, diariamente, pelos atos criminosos de autoridades, da sociedade também que deveriam nos deixar chorando pelas paredes e muros de nossas cidades.

Este é o país que mais perde jovens entre 14 e 29 anos, por assassinato.

Este é o país que mais perde gente produtiva porque o analfabetismo grassa por toda a parte.

Este é o país que perde cidadão e cidadãs diariamente nos hospitais por falta de atendimento, por falta de medicamento.

Este é o país que perde bilhões em verbas desviadas pela corrupção.

Este é o país que perde a sua dignidade ao ver as drogas e os traficantes dominá-lo em todos os seus rincões e não vê as autoridades constituídas fazerem nada porque são destituídas por um poder paralelo que, infelizmente dita as regras, antes na surdina, agora quase que abertamente.

Este é o país que perde votos porque não sabe o poder que tem ou que poderia ter nas mãos.

Este é o país, gente, que perde na sua imensa extensão territorial porque não soube crescer demograficamente.

Incha as capitais e não sabe fixar as famílias aos seus lugares de origem.

Este é o país que perde muito, todos os dias, a cada minuto.

E até perde uma Copa do Mundo.

E daí, se perde tudo o que falamos e muito mais e não deixa derramar uma lágrima sequer? 

seta

Primeira Edição © 2011