seta

298 postagens no blog

Ganhar Dinheiro sem fazer Força. Você acredita?

02/11/2017 09:04

               Quem acreditou nas pirâmides que durante tanto tempo enfeitiçaram pessoas mundo a fora, se deu mal, muito mal. E agora, aparecem as tais "bitcoins" oferecendo fortunas incalculáveis para quem entrar na jogada dessas moedas virtuais. Uma promessa ilusória que pode mostrar resultados em pouco tempo e em algum tempo depois mostrar a bancarrota para quem entrou nela. Sou dos que acreditam no trabalho duro. Na garra, na perseguição do sucesso, na vontade de realizar e, com triunfos ou sem maiores triunfos, o que importa é a consciência tranquila de estar produzindo, de estar fazendo o que se espera do ser humano. O que não dá para acreditar é na fortuna fácil, nas jogadas mirabolantes, nas moedas escondidas que você não toca e que não têm o mesmo nome das tradicionais. Ganhe em reais, ganhe em dólares ou em libras, tanto faz, mas acumular riqueza com a tal de bitcoin? Posso estar enganado, mas prefiro me enganar do que ser enganado. Prefiro deixar de ganhar na certeza de que não tenho o que perder do que desejar ganhar na perspectiva de perder. Olho aberto, gente. Moeda virtual...ai, ai...não sei não.  Mas, digamos que dê certo. Parabéns a quem acreditou e não foi cético como eu.

 

seta

A Carruagem anda...

19/10/2017 10:52

                               Você sabe. Você conhece pelo andar da carruagem qual é o seu destino. Você sente no ar, no cheiro do campo ou no cheiro do lixo, se o caminho é bom ou não. Caminhos esquisitos vêm sendo trilhados, sim senhor, na política brasileira que, aliás, sempre foi profundamente confusa e incompreensível apesar de certos políticos auto-denominarem de incompreendidos. Mas, o fato é que por esses caminhos, ruelas e vielas são ultrapassadas, buracos e obstáculos são vencidos e os vencedores são sempre os mesmos. Os caminhos da política nacional, essa tão falada e discutida por gregos e troianos são vividos por quem comanda e sabe comandar carruagens com maestria, ora sentando-se nos bancos principais, ora em descanso sazonal fora dos seus lugares, ora sentados na boléia ensinando o cocheiro por onde ir, mas sempre indicando rumos. Portanto, amigos, nada de surpresas. Quem está no comando, comandado está. Apenas esquentando o banco para quem, em breve, vai comandar de fato e de direito. A não ser que a sociedade, tão injuriada, resolva reagir e, ela própria escolher os bancos, os assentos e os assentados. Ou a não ser que algum pneu fure no meio do trajeto. Mas ia me esquecendo: carruagem não tem pneu. Então...é isso mesmo!

 

seta

Os bons se juntam

30/09/2017 10:37

                                              O momento que vivemos no Brasil é de uma delicadeza política a toda a prova. Diria mesmo que estamos em pleno teste da inteligência, quando os políticos de um modo geral têm que saber fazer as manobras, no bom sentido, visando a reversão de expectativa do povo brasileiro que espera pouco dos políticos de um modo geral. Os inteligentes, os justos, os corretos, juntam-se neste momento e começam a fazer parte de uma ampla reforma de idéias, de pensamentos e de ações concretas que possam demonstrar o melhor dos seus objetivos a favor do país. No caso específico de Alagoas acabamos de ver a juntada do governador Renan Filho, um exemplo de equilíbrio e de organização governamental com o ex-governador Ronaldo Lessa, líder incontestável, cumpridor de suas obrigações e guardião de suas convicções. Não temos dúvida de que a união dos dois líderes só poderá trazer bons frutos  para o estado, para a sociedade e para a participação no próximo ano de eleições que visem a transformação de muitos pontos e a continuação das aprovações que têm sido notadas no decurso dos últimos três anos. Alagoas merece que homens de bem estejam juntos e que, juntos, encetem a trilha tão desejada por todos os que amam o pequeno, mas valoroso Estado de Alagoas.

 

seta

Os 200 anos da jovem Alagoas

16/09/2017 11:50

                Jovem, muito jovem ainda, em formação constante, em reformas das reformas, em vitórias gradativas, em forjação de seu povo e de seu destino. Alagoas nos seus 200 anos tem histórias e estórias para contar, mas tem sobretudo, a capacidade de dar a volta por cima, de virar páginas e de se superar com garra e com coragem.

                 Hospitaleira, recebe os que aqui chegam como se de aqui fossem e eu mesmo, vinte anos de Alagoas, a fiz mãe, me fiz filho, recebi os títulos e carimbei cidadania com trabalho, com amor e com gratidão.

                Acredito nos que querem ver uma Alagoas cada vez melhor. Acredito na sua vocação de "hostess" e de coração aberto. Acredito na potencialidade de suas reservas em todos os sentidos. Acredito no povo, sobremodo no povo que se fez alagoano de fé e de coragem e pode gritar aos quatro cantos que por ela há de lutar e se regozijar.

               Parabéns, Alagoas, pelos seus 200 anos!   

seta

Revolução do Proletariado?

12/09/2017 09:34

 

                      Recebi no meu What'sApp, através de um amigo confiável, uma mensagem fonada que se dizia de um tenente do exército em que ele informava que havia sido convidado para falar em uma escola de meninos e meninas bastante pobres, no interior, sobre civismo, símbolos nacionais, etc. De repente, foi surpreendido por uma pergunta de um dos meninos que queria saber se ele podia falar sobre "revolução do proletariado". Surpreso, principalmente porque naquela altura o tenente verificara que eles nada sabiam sobre patriotismo, hino nacional e outras coisas importantes para a formação do caráter, mas estavam - muitos deles - absolutamente integrados numa posição de falar de uma revolução que estaria de novo no poder, que traria Lula de volta e que colocaria o proletariado do país em uma posição revolucionária impressionante. Diz o tenente que conseguiu perceber a existência de um movimento de lavagem cerebral por aí a fora e que pode trazer consequências imprevisíveis para tomadas de posição que podem ser certas ou erradas politicamente falando, mas que, socialmente criam uma gama de crianças que são norteadas para um princípio político que, no futuro, nem poderá ser o delas. Importante detalhe é que todos tinham a aprovação da professora, presente ao evento. O desabafo do tenente foi realmente incrível e levou-me a publicar seu contexto para que possamos até avaliar se há fundo de verdade ou não nessa que eles estão chamando de "revolução do proletariado".

seta

Primeira Edição © 2011