seta

686 postagens no blog

Parceria reabre Correios na Barra de Santo Antônio

04/08/2017 15:34

A agência dos Correios na Barra de Santo Antônio foi reaberta, depois de definida uma parceria entre a superintendência do órgão em Alagoas e a prefeitura do município, informou nesta sexta-feira a prefeita Emanuella Moura. Segundo ela, será celebrado um convênio para garantir o funcionamento desses serviços na cidade.

“O fechamento dos Correios na Barra seria um transtorno para a população e um retrocesso para a cidade, não poderíamos permitir isso”, destacou a prefeita, que esteve várias vezes na direção do órgão no estado para evitar essa situação, ao lado do vereador Flávio Muskitto. Emanuella afirmou que a recuperação da sede é uma das ações do município nessa parceria.

Reviravolta – A prefeita disse que a reabertura da agência na Barra mostra a disposição do trabalho e a credibilidade de sua gestão lá fora. “A Barra de Santo Antônio tem sido tratada com o respeito que merece seu povo e isso nos legitima a lutar pelo melhor para o nosso município”, reforçou. “A agência está reaberta e vamos prosseguir defendendo e cuidando da nossa cidade”, acrescentou Emanuella.

seta

Ações da Emater fortalecem famílias quilombolas

08/08/2017 12:27

Quilombolas da comunidade Jacú e Mocó, em Poço das Trincheiras, conheceram novas perspectivas sociais e ganharam mais qualidade de vida com o apoio do Instituto de Inovação para o Desenvolvimento Rural Sustentável de Alagoas (Emater/AL), que vem realizando, desde 2015, atividades de inclusão produtiva e cidadania junto às famílias beneficiadas por oito novas casas no Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR). 

O plano de trabalho promovido pela Emater tem como base os projetos arquitetônico e social previstos no PNHR para fortalecimento e autonomia das famílias beneficiárias. Por meio dos projetos, a equipe técnica divide o trabalho em três fases distintas, executadas de acordo com o avanço das obras de construção das casas. 

Durante a primeira fase, chamada “pré-obra”, a equipe técnica da Emater foi responsável por identificar e cadastrar as famílias, realizar levantamento socioeconômico e desenvolver diagnóstico participativo para conhecer as principais necessidades locais e construir o plano de trabalho para execução nas fases seguintes. 

Na segunda fase, denominada “durante obra”, as famílias quilombolas foram envolvidas em ações de desenvolvimento sócio-organizativo; educação ambiental, patrimonial e saúde e apoio à produção, comercialização e gestão de organização produtiva. 

Nessa etapa, as famílias tradicionais foram envolvidas em oficinas sobre cooperativismo e associativismo para organização social; oficina para uso de resíduos domiciliares por meio da compostagem; em palestras sobre agroecologia, educação patrimonial, saúde da mulher e do homem, planejamento e gestão do orçamento familiar e ponto cruz para mulheres quilombolas.

De acordo com a assistente social da Emater, Maria Dantas, o intuito das ações foi fazer com que as famílias beneficiadas pelas novas moradias e demais moradores da comunidade estivessem aptos à aplicação de técnicas de produção de alimentos, organização social e preservação do meio ambiente para garantia da segurança alimentar e geração de renda, fatores importantes para a manutenção do bem-estar comunitário. 

PNHR 
A coordenadora do projeto e gerente de Ater da Emater, Graça Seixas, explica que para definir os beneficiários do PNHR os técnicos vão até a comunidade e, durante a fase pré-obra, realizam o mapeamento inicial e elaboram o plano de trabalho que é submetido para a instituição bancária realizar a avaliação. 

Com a aprovação das famílias, R$ 28.500 são liberados para a construção das casas, recurso que é gerido por uma comissão estruturada por dois beneficiários e um representante da Emater, a entidade organizadora, com o intuito de gerenciar o recurso e garantir sua total execução. Do valor total, os beneficiários do PNHR precisam pagar apenas 4%, totalizando R$ 1.140, ou seja, 96% do recurso é subsidiado pelo Governo. 

“Os 4% do valor são pagos ao longo de quatro anos, isso porque o PNHR é uma ferramenta que facilita e garante o acesso a condições dignas de moradia para famílias que até então viviam em casas de taipa, sem qualquer qualidade de vida. Com o pagamento facilitado, os beneficiários precisam pagar apenas R$ 285 por ano, representando cerca de R$ 23 por mês”, ressaltou. 

Durante as obras, os beneficiários tiveram participação direta no processo de construção das casas, colaborando em cada uma das etapas. 

Para o projeto em Jacú e Mocó, onde foram construídas oito casas, as atividades foram executadas pela coordenadora, Graça Seixas, pela assistente social, Maria Dantas, e do agrônomo Mário Jorge Nunes, do técnico agrícola Jandir do Nascimento, além do acompanhamento da arquiteta Carmem Andreia da Fonseca. 

Pós-obra 
A terceira fase do trabalho social desenvolvido junto às famílias quilombolas segue a conclusão das obras de construção das casas. 

Nela, a Emater auxilia no processo de reassentamento das famílias e promove reunião para prestação de contas e avaliação dos avanços produtivos e sociais obtidos ao longo do cronograma de trabalho. 

Com o encerramento do projeto do PNHR, as famílias continuam recebendo assistência técnica com o apoio das equipes que atuam na região.

seta

Seagri contempla produtores de Major Isidoro com entrega de 30 mil alevinos

10/08/2017 12:48

Mais de 30 mil alevinos foram depositados na barragem de São Marcos, em Major Izidoro
Mais de 30 mil alevinos foram depositados na barragem de São Marcos, em Major Izidoro

 

Em mais uma ação da secretaria da Agricultura, Pecuária, Pesca e Aquicultura  (Seagri), o Governo de Alagoas contemplou pequenos produtores rurais do município de Major Izidoro, na Bacia Leiteira alagoana, com a doação de 30 mil alevinos da espécie tilápia, na quarta-feira (9).

O povoamento da barragem de São Marcos foi realizado por técnicos da Superintendência de Aquicultura da Seagri e técnicos da prefeitura de Major Izidoro, em evento prestigiado por lideranças políticas locais e representantes de associações e cooperativas do município.

Como explicou o secretário da Agricultura, Álvaro Vasconcelos, o povoamento dos açudes com alevinos de tilápia tem um grande significado para as comunidades e representa uma renda extra para as famílias de pequenos agricultores.

"Somente este ano, o Governo de Alagoas já fez a doação de mais de um milhão de alevinos para as famílias de pequenos produtores rurais em todas regiões do Estado", lembrou Álvaro Vasconcelos.

Para Cícero da Silva, morador do povoado São Marcos, a população, que já comemorava a chegada das chuvas que encheram as barragens e açudes, agora recebe um novo estímulo com a distribuição dos alevinos.

A ação, que conta com a parceria da Companhia dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf), serve de incentivo à aquicultura em barragens e açudes públicos comunitários, refletindo no aumento da produção pesqueira do Estado.

Além das barragens e açudes públicos, a Seagri mantém 17 módulos de tanques-rede distribuídos por todas as regiões do Estado, atendendo a 20 famílias de pequenos produtores rurais com cada um deles.

Após sua estruturação, esses tanques-rede passaram a ser geridos por associações comunitárias cuja direção foi capacitada para administrar seu funcionamento e para manejar o pescado. Periodicamente, esses módulos são abastecidos com alevinos pela Superintendência de Aquicultura da Seagri.

seta

Mar Vermelho recebe V Festival de Inverno neste final de semana

11/08/2017 11:20

Mar Vermelho recebe V Festival de Inverno neste final de semana

 

Festa acontecerá nos dias 11 e 12 de agosto pretende acolher público de 30 mil pessoas

 

Mar Vermelho espera receber 30 mil visitantes nos dois dias de festaMar Vermelho espera receber 30 mil visitantes nos dois dias de festaAscom Secult

Texto de Júlya Rocha, com assessoria
 

O município de Mar Vermelho se prepara para receber mais um Festival de Inverno. Nos dias 11 a 12 de agosto, a boa música e um friozinho vão se encontrar na quinta edição do evento. A festa pretende acolher cerca de 30 mil pessoas.

 

Realizado pela prefeitura de Mar Vermelho, com apoio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), o evento acontece na Praça Cristo Redentor, e será palco para atrações musicais que o Brasil inteiro admira, como José Augusto e Jorge de Altinho, além dos nossos queridos artistas regionais, Capilé, Garota Sertaneja e Time Machine.

 

Confira os horários da programação:

 

11/08

19h – Abertura

20h- Garota Sertaneja

22h – Jorge de Altinho

 

12/08

18h- Capilé

20h- José Augusto

22h – Time Machine

seta

Empresa tem obras de aterro sanitário embargadas pela fiscalização do IMA/AL

14/08/2017 11:37

A construção dos aterros sanitários é uma das principais soluções apontadas para resolver o problema dos lixões a céu aberto. Entretanto, os técnicos do Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas (IMA/AL) alertam que a necessidade não faz com que seja permitido o descumprimento do que preceitua a legislação ambiental.

O alerta é feito por causa da autuação e do embargo à obra do aterro que estava sendo construído pelo Consórcio Regional de Resíduos Sólidos do Sertão de Alagoas (CRERSSAL), no município de Delmiro Gouveia.

Após receber denúncias a equipe de fiscalização do IMA/AL encontrou a construção que estava sendo realizada sem licença ambiental.

Além do embargo à obra, os responsáveis pelo Consórcio ainda receberam uma autuação, classificada como grave e com o agravante da falta de licença, com multa de R$ 274.708,72. O grupo tem o prazo de 20 dias para apresentar defesa e a regularização só vai acontecer com os trâmites legais para o licenciamento.

“Estavam construindo o que dizem que seria um aterro e já iam instalar uma lona no que seria uma célula”, comentou Pollyana Gomes, gerente de Monitoramento e Fiscalização do IMA/AL.

O aterro estava sendo construído no mesmo lugar onde funciona o lixão do município de Delmiro Gouveia. Segundo divulgação de um dos responsáveis pela área, já estavam recebendo os resíduos de Delmiro Gouveia e, em um prazo de 45 dias, pretendiam receber os resíduos de todos os municípios da região.

O Consórcio é formado pelos municípios de Água Branca, Canapi, Delmiro Gouveia, Inhapi, Mata Grande, Pariconha, Olho D’Água do Casado.

Entretanto, no local não há estrutura que demonstre a existência de um aterro sanitário. Segundo informações da Pollyana Gomes, é interesse do IMA que o problema dos lixões sejam resolvidos, inclusive para atendimento do que determina a legislação. Entretanto, a construção deve ser feita respeitando as normas legais, inclusive o passo a passo do licenciamento.

seta

Primeira Edição © 2011