Decreto de distanciamento: fiscalização registra baixa ocorrência

14/04/2021 16:53

A- A+

Assessoria

compartilhar:

A Secretaria de Segurança Comunitária e Convívio Social realizou mais de 1.700 operações e registrou menos de 15 ocorrências, em descumprimento ao decreto de enfrentamento da covid 19, em Maceió. Este é o balanço do trabalho de fiscalização realizado nos fins de semana de 19 de março à 11 de abril.
O secretário Thiago Prado considera que o trabalho, baseado sempre no diálogo, tem se mostrado positivo e que, apesar das medidas prejudicarem a economia, a necessidade prioritária é salvar vidas. Prado pontua ainda que a orientação do órgão é ter um olhar sensível aos trabalhadores. “As ações de fiscalização do município vêm sendo bem recebidas por todos, diante do caráter educativo e orientativo. Várias foram as vezes que nossas equipes foram aplaudidas nos estabelecimentos fiscalizados”, ressaltou o secretário.

Até o momento, não houve necessidade de adoção de medidas punitivas.
Em toda cidade, foram fiscalizados 1.785 estabelecimentos, com seis notificações e seis interdições. Um índice de mais de 90% do cumprimento das normas do decreto.
Situação semelhante a praia foi encontrada no Centro da cidade, Mercados Públicos e em bares e restaurantes. Mais de 100 agentes da Guarda Municipal, Fiscais de Postura e Vigilância Sanitária fizeram rondas evitando as aglomerações e orientando a população para o cumprimento das normas sanitárias para evitar a propagação do vírus.

De acordo com o decreto (Nº 73.650), do Governo do Estado, Maceió, assim como todo o estado, encontra-se na fase vermelha de enfrentamento ao covid-19. Por isso, aos finais de semana, praias não podem ser frequentadas, estabelecimentos comerciais não podem funcionar, serviços essenciais apenas na modalidade “pegue e leve” ou por aplicativo e as pessoas não podem transitar entre 9h e 5h.

Ingryd Galvão, enfermeira do Hospital Universitário (HU), faz exercícios físicos aos finais de semana no calçadão da orla. Apesar de ter que passar os finais de semana em casa, ela é a favor do fechamento da praia.
“Acho de extrema importância o fechamento das praias e afins, nos finais de semana, devido ser um período de maior circulação de pessoas, e é observado que não se tem o controle do uso de máscara, bem como do distanciamento, o que contribui para aumento da propagação do vírus”, disse a enfermeira.

Ela também aproveitou o momento para pedir alimento por aplicativo para estimular as vendas locais e manter a economia circulando.
“Além de contribuir para evitar as aglomerações em bares e restaurantes, estou estimulando o comércio de uma certa forma, sem comprometer tanto esses setores”, finalizou.

Primeira Edição © 2011