Segundo turno em Maceió, a hora da verdade nua e crua: Alfredo Gaspar x João Henrique Caldas

17/11/2020 14:27

A- A+

Romero Vieira Belo

compartilhar:

 

O segundo turno das eleições majoritárias – prefeito, governador e presidente da República – foi instituído pelo Congresso Nacional com um objetivo claro: impedir que determinado candidato se eleja com os votos de uma minoria do eleitorado. Como, em geral, são vários os concorrentes, a população votante se fraciona e ocorre que, mesmo sendo o mais votado, o candidato vitorioso no primeiro turno acaba sendo escolhido pela minoria do conjunto dos eleitores. Daí a solução oportuna e democrática de levar os dois mais votados para um turno final.

Representa, óbvio, mais investimentos, mobilização de juízes, mesários, Ministério Público, Polícia Militar, fiscais, significa também mais gastos com propaganda nas ruas, no rádio e na televisão, mas é a fórmula que leva ao confronto justamente os postulantes contemplados com a preferência da maioria.

A vantagem do sistema consiste, ainda, na ‘despoluição’ do cenário da disputa. Com 10 candidatos, a campanha em Maceió acabou embaralhada, com postulantes distintos defendendo as mesmas ideias, apresentando as mesmas propostas, de modo que o eleitor termina ficando sem condições de analisar detidamente os programas, todos eles recheados por promessas intermináveis.

O segundo turno, previsto para o próximo dia 29, significará o ponto culminante da disputa inicial, porém com um cenário mais definido e transparente. São apenas dois finalistas, cada um com suas próprias ideias, sem conflitos de propostas, a permitir que o eleitor possa fazer uma escolha consciente, sem dúvidas.

Exatamente por isso, graças à filtragem do processo, cada candidato no segundo turno será dissecado e terá sua trajetória política exposta sem retoques e sem disfarces.

Seria oportuno, interessante, um debate na televisão aberta para mostrar, também, a capacidade de cada um de expressar suas opiniões e defender seus projetos sem a velha maquiagem e os manjados artifícios dos estúdios que gravam para o Guia Eleitoral. Um debate ao vivo, ‘cara a cara’ com os eleitores.

A batalha em Maceió confrontará a expériência de Alfredo Gaspar e a impetuosidade de João Henrique Caldas, o JHC.

 

PONTO PARA PEDRO AUGUSTO NO COMANDO DO TRE

Com a competência e o equilíbrio de sempre, o desembargador Pedro Augusto Mendonça conduziu com muita firmeza e lucidez todo o processo eleitoral em Alagoas. Empossado na presidência do Tribunal Regional Eleitoral em janeiro de 2019, Pedro Augusto trabalha no comando da Justiça Eleitoral com a mesma desenvoltura e eficiência que apresenta no Tribunal de Justiça.

 

SISTEMA PRÓPRIO DE UMA REPUBLIQUETA

O sistema político brasileiro é um modelo anárquico, próprio de uma republiqueta. Com quase 40 partidos registrados na Justiça Eleitoral, o que não deveria ser sequer figuração, virou ‘protagonismo’ de araque. A política tupinambá, hoje mais do que nunca, vive de esbanjamentos financeiros, trapaças e escândalos. Mas todos fingindo que o processo é sério, exemplar...

 

ALCIDES FALCÃO, UM AMANTE DAS SERESTAS...

O ex-deputado Alcides Falcão, que faleceu na madrugada de quarta-feira, 11 de novembro (causando luto e tristeza em familiares e amigos), tocava violão e cantava muito bem. Nos tempos dourados, de belas músicas, com poesia e riqueza melódica, Alcides costumava incursionar nas noites enluaradas, protagonizando impagáveis serestas.

 

...E UM CRÍTICO DO INSTITUTO DA REELEIÇÃO

Em seus escritos publicados semanalmente no Primeira Edição, Alcides Falcão criticava bastante o instituto da reeleição, lembrando que, no passado, prefeito, governador e presidente podiam concorrer a um novo mandato, mas não de forma sequencial. Só quatro anos depois. Ele dizia que, ao final das contas, havia mais gestores ruins do que bons, no 2º mandato.

 

CINEASTA DO ‘PORTA DOS FUNDOS’ É MORTO NO RIO

O cineasta Cadu Barcellos, de 34 anos, foi esfaqueado e morto na Rua Uruguaiana, em Copacabana, durante um assalto na violenta noite de terça-feira (10) no Rio de Janeiro. Cadu Barcellos era diretor-assistente do ‘Porta dos Fundos’, o mesmo grupo que produziu a ‘A primeira tentação de Cristo’, narrativa desdenhosa em que Jesus aparece como um gay.

 

MORRE WALQUIRIA, FILHA DO GOVERNADOR SURUAGY

A coluna registra com pesar o falecimento, na sexta-feira (13 de novembro) de Walquíria Suruagy, que nos últimos dois anos lutou contra grave enfermidade. Conceituada servidora da Justiça do Trabalho, em Alagoas, Walquíria era filha do ex-governador Divaldo Suruagy e da professora Luzia Suruagy. Nossas condolências aos familiares e amigos.

 

 

Primeira Edição © 2011