Na Espanha, voluntários fabricam equipamentos em 3D para luta contra Covid-19

25/03/2020 17:19

A- A+

EFE

compartilhar:

Voluntários de toda a Espanha se propuseram a aplicar a tecnologia 3D para fabricar equipamentos de proteção e materiais de saúde para contribuir na luta contra a propagação do coronavírus.

O projeto, batizado como 'Coronavirus Makers' e que já reuniu 13 mil colaboradores, surgiu em Madri e se espalhou pelo restante do país. Os participantes se organizam por equipes para gerenciar a criação e a logística de produtos úteis para as equipes de saúde, que depois são destinados a hospitais.

Entre os milhares de voluntários estão médicos, engenheiros, designers, professores e enfermeiros, além de escolas e empresas que disponibilizaram suas máquinas de impressão 3D para a iniciativa.

O objetivo da campanha, coordenada pelos canais do Telegram, é garantir que os profissionais da saúde estejam protegidos e possam realizar seu trabalho com segurança em um momento em que o sistema de saúde está à beira do colapso devido à pandemia.

Para isso, os colaboradores começaram a fabricar telas de proteção projetadas para profissionais que estão em contato direto com os infectados por coronavírus.

Um dos coordenadores da iniciativa na Catalunha, Nestor Aparicio, trabalha no gerenciamento da Escola Superior de Design e Arte Llotja, que transferiu suas instalações para um centro de logística a partir de onde os recursos estão organizados.

Graças a uma empresa de transporte que facilitou o serviço de van, as telas impressas pelos 'fabricantes' são coletadas periodicamente, levadas para a Escola Superior de Desenho e Arte de Llotja, onde são desinfetadas e, terminada a montagem, distribuídas para hospitais.

Para realizar o trabalho, os 'Coronavirus Makers' precisam de mais doações de filamentos, especificamente bobinas do modelo "PLA 1,75 mm".

A escola de Mare de Déu dels Àngels, em Barcelona, foi uma das últimas a aderir a essa iniciativa de "contribuir com um grão de areia" e "combater a crise do coronavírus" fabricando telas protetoras, de acordo com o professor de robótica Vicenç Casas.

Além das telas de proteção, os voluntários da 'Coronavirus Makers' também desenvolveram alças de plástico para abertura de portas e agora estudam a possibilidade de fabricarem máscaras e óculos de proteção com tecnologia 3D que também atendam a todos os requisitos de aprovação.

Primeira Edição © 2011