Uma solução viável contra aumento dos combustíveis

13/01/2020 17:58

A- A+

Romero Vieira Belo

compartilhar:

De repente, a ideia luminosa: um fundo para equalizar os preços dos combustíveis. Por que não?

A sugestão sobreveio com a crise entre Estados Unidos e Irã com reflexos altistas na cotação do petróleo. Como, no Brasil, o preço da gasolina, do diesel e até do etanol aumenta o tempo todo, seguindo o mercado externo e a variação do dólar, Bolsonaro concebeu a oportuna ideia de criar um fundo setorial.

É a fórmula, sem efeitos colaterais, capaz de evitar que os combustíveis sacrifiquem ainda mais os proprietários de automóveis. Ou que induzam, mais uma vez, os caminhoneiros a uma paralisação que teria consequências imprevisíveis.

A questão é: o governo não pode interferir na política de preços da Petrobras pelo simples fato de que, o fazendo, afetará a receita da estatal e produzirá fuga de seus acionistas e investidores.

O governo Dilma segurou o preço dos combustíveis e o resultado, no médio prazo, todos conhecem: aumento compensatório e greve dos carreteiros durante o governo de Michel Temer. Um pandemônio se abateu sobre o cotidiano dos brasileiros.

Mas, o fundo em cogitação não deveria ser, apenas, para evitar a explosão dos preços dos combustíveis. Não. Poderia, igualmente, ser usado para livrar os usuários de energia elétrica do pagamento de contas bilionárias às termoelétricas, que garantem o suprimento energético em períodos de estiagem e de queda acentuada dos níveis dos reservatórios das hidroelétricas.

A cobertura dada às termoelétricas atinge pesadamente o bolso dos consumidores, mesmo com a política de diluição dos encargos ao longo de anos. Por isso, seria mais do que justo que o governo de Bolsonaro criasse um ‘fundo energético’ mais abrangente, de modo a evitar a penalização de quem usa energia e combustível automotivo, sabendo-se, obviamente, que nem todo cidadão tem carro, mas todo cidadão usa energia elétrica.

O governo, que sempre acha de onde tirar recursos públicos (como os dois bilhões do fundo eleitoral), saberá onde ir buscar lastro para manter energia e combustível sem altas insuportáveis.

 

UMA CONQUISTA DIGNA DE COMEMORAÇÃO

A redução da violência, em Maceió, pode ser sentida pelas pessoas no cotidiano. Quase já não se houve falar em ‘saidinha de banco’, ataques a postos de combustível e explosão de caixas eletrônicos. Também diminuíram muito os assaltos nos coletivos. No interior recuaram os roubos de cargas e de agências bancárias.

 

MAIS SEGURANÇA SIGNIFICA MAIS TURISMO

E o que é mais emblemático nos avanços da luta contra a criminalidade é a queda da taxa de homicídios. Foram 1.184 assassinatos no ano passado contra 2.417, em 2011. Uma redução superior a 50% em menos de uma década. O boom turístico de Alagoas tem explicação: segurança. O turista hoje se sente seguro ai visitar nosso Estado, ao contrário do que se via há 10 anos...

 

O INIMIGO DO FUNCIONALISMO PÚBLICO

Preocupado, apenas, com arrecadação, Paulo Guedes tende a colocar o funcionalismo público em rota de colisão com o presidente Bolsonaro. A pancada nos aposentados já aconteceu, mas é uma categoria imobilizada. A vez dos servidores ativos está chegando com a reforma administrativa...

 

O DRAMA DE ROGÉRIO TEÓFILO EM ARAPIRACA

Rogério Teófilo lutou bravamente, reduziu despesas, racionalizou gastos, mas não conseguiu livrar Arapiraca da dívida astronômica que herdou ao assumir a Prefeitura em 2017. Servidores com salários atrasados, recorrendo ao Ministério Público e à Justiça, mostra que o déficit orçamentário persiste na capital do Agreste.

Às vezes, na política, é melhor perder ganhando do que ganhar perdendo. Teófilo parece viver esta última situação.

 

TCU QUER REDUZIR GASTOS DE PARLAMENTARES

O Tribunal de Contas da União está de olho no cotão. É o nome dado ao dinheiro gasto pelos congressistas com alimentação, combustível, passagem aérea, telefone, aluguel de veículos etc.

Em 2019, a despesa com esses itens foi de R$ 188 milhões.

 

O RENDIMENTO DA CADERNETA LÁ EMBAIXO

Com o rendimento lá embaixo, a caderneta de poupança está deixando de ser um investimento atrativo. Hoje, uma aplicação de R$ 50 mil rende menos que R$ 150,00. Por enquanto, o poupador está correndo para outras aplicações, mas, de repente, pode acontecer uma corrida para o consumo...

 

VIDENTE PREVÊ MORTE DE DOIS VELHINHOS...

O vidente Rogério Alexandre, o Robério de Ogum, previu a morte de dois ex-presidentes do Brasil, em 2020. Se nenhum morrer, ninguém se lembrará da profecia. Se morrerem dois, o médium vira um deus. Detalhe: José Sarney e Fernando Henrique têm 89 anos e estão doentes. Michel Temer beira os 80. O mais novo, Fernando Collor, já comemorou 70...

 

Primeira Edição © 2011