Cúpula sobre inovação para inclusão na América Latina começa em Punta Cana

01/11/2019 13:21

A- A+

EFE

compartilhar:

O Foromic, principal evento sobre inovação para inclusão da América Latina e Caribe e organizado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), começou nesta quinta-feira com a inserção econômica como um dos eixos principais.

"Estamos focados no grande desafio da inclusão, pois não podemos deixar de reconhecer que nossa região está passando por um momento bastante complexo", disse o presidente do BID, Luis Alberto Moreno, na sessão de abertura do Foromic 2019, realizado em Punta Cana, na República Dominicana.

Moreno disse que é importante encontrar soluções que melhorem a vida das pessoas na região nesses tempos turbulentos, causados pela desigualdade de oportunidades econômicas.

"Nós últimos meses temos observado fenômenos sociais que se manifestam de maneiras diferentes em diferentes países, mas com um fio condutor: a enorme frustração que milhões de pessoas sentem em relação ao sistema econômico e social, que não lhes está dando as mesmas oportunidades que as das classes privilegiadas", refletiu o presidente do BID.

O ministro da Fazenda da República Dominicana, Donald Guerrero, concordou com as afirmações de Moreno e abriu o Foromic enfatizando a necessidade que os países latino-americanos desenvolvam planos de inclusão econômica para que todos os cidadãos possam se integrar socialmente.

"Todos os países da região têm amplos desafios em termos de inclusão, entendidos como cada família e cada pessoa tendo recursos e as oportunidades necessárias para poder se integrar socialmente", disse Guerrero.

No discurso, Guerrero destacou que a República Dominicana está começando a ser um país de classe média. No entanto, ressaltou que o país agora precisa passar por um período de mudanças drásticas, especialmente no mercado trabalhista, devido às novas tecnologias e os processos de automação.

Moreno alertou sobre a possibilidade de os dois fatores destacados pelo ministro dominicano provocarem uma "grande fratura social" na região.

"É aí que começa a se criar uma grande divisão social, se não a corrigirmos logo, virão tempos difíceis. Em um fórum como esse, reinventar a inclusão não poderia ser mais oportuno e urgente", disse ele.

Para tratar dessas questões, o BID convidou a gerente-geral do Setor Público da Microsoft para a América Latina, Anayda Frisneda, que indicou que 30% das empresas da região já têm planos de transformação digital, com elementos de inteligência artificial presentes.

"Até 2021, pelo menos 40% do PIB da América Latina será digitalizado", afirmou Moreno.

O fórum, organizado pelo BID e liderado pelo laboratório de inovação da organização, reunirá durante dois dias instituições financeiras e empresas de toda a região para analisar como a inovação, promovida por tecnologias emergentes e modelos de negócios disruptivos, está transformando a inclusão em serviços financeiros, o empreendedorismo e o futuro do trabalho.

Primeira Edição © 2011