Doenças cardíacas através de problemas de saúde bucal

O dentista Dr. Márcio Passos, alerta que algumas doenças cardíacas podem iniciar a partir de uma saúde bucal comprometida

12/09/2019 17:42

A- A+

MF Press Global

compartilhar:

Os mais recentes estudos na área da saúde apontam que doenças cardíacas e problemas de higiene e saúde bucal estão conectados. Segundo estudo do Instituto do Coração (InCor), da Universidade de São Paulo (USP), 45% das doenças cardíacas têm início na cavidade bucal. Entre elas estão a endocardite bacteriana, aterosclerose, arritmia, acidente vascular cerebral (AVC) e até mesmo o infarto.
O dentista Dr. Márcio Passos, ortodontista e especialista em ATM aponta que os dados revelam uma verdade pouco conhecida por muitos pacientes. “Saúde bucal e doença cardíaca estão conectadas devido à disseminação de  bactérias presentes na boca para diversas regiões do seu corpo, pegando carona na corrente sanguínea, chegando ao coração. Quando essas bactérias alcançam o coração elas tem predileção por membranas e válvulas cardíacas , podendo causar inflamação”.

Sintomas que acendem a luz amarela para o risco de doenças cardíacas
O Dr. Márcio Passos aponta que existem alguns sintomas que denotam que a saúde bucal não anda bem e que servem de alerta para procurar um dentista quanto antes, para prevenir complicações de saúde de modo geral. ”Gengivas vermelhas, inchadas ou doloridas ao toque, sangramento quando você come, escova ou usa o fio dental, pus ou outros sinais de infecção em volta da gengiva e dos dentes, como retração da gengiva, ao parecer estar se afastando dos dentes, mau hálito frequentemente ou notar um gosto ruim na boca e dentes com mobilidade (dentes moles) são alguns dos sintomas que alertam que a saúde bucal não anda bem e da possibilidade do surgimento de problemas cardíacos como consequência”, ressalta.

O especialista também revela que pacientes que já apresentam problemas cardíacos tem maior possibilidade de desenvolver doenças cardíacas a partir de problemas bucais, em especial a endocardite bacteriana. “Pessoas que já tenham se submetido a cirurgias de substituição de válvulas cardíacas por válvulas artificiais ou tenham válvulas cardíacas danificadas por problemas como, por exemplo, febre reumática, são fortes candidatos a desenvolverem endocardite bacteriana como consequência de problemas de saúde bucal. Aquelas que também apresentem miocardiopatia hipertrófica, defeitos cardíacos congênitos ou prolapso da válvula mitral com sopro situam-se neste mesmo grupo de risco. Nesses casos, a infeção pode danificar ou mesmo destruir as válvulas e os tecidos do coração.

Problemas bucais como causadores de nascimento prematuro
Além dos problemas cardíacos, o Dr. Márcio também alerta que bactérias presentes na boca em detrimento de má saúde bucal também tem outras complicações relativas a mulheres gestantes:”estudos apontam que estas bactérias também são alguns dos maiores fatores causadores de nascimento prematuro. Por isso é recomendado às gestantes fazerem visitas regulares ao dentista e estar com saúde bucal em dia”.

Prevenção e tratamento
Segundo o dentista, é preciso tratar a origem do problema, cuidando da saúde bucal, para evitar complicações cardíacas futuras. "Somente o fato de tratar da gengivite e dos problemas de saúde bucal, realizando a profilaxia e resolvendo a questão da proliferação de germes e bactérias na boca, já se consegue evitar grande parte deste problema, prevenindo o aparecimento de complicações cardíacas. Procure um dentista, faça um check up geral da sua saúde bucal e mantenha bons hábitos de higiene, com uso regular de fio dental, limpador de língua e bochechas e escovação adequada”.

Primeira Edição © 2011