Banco Mundial faz estudo para apoiar investimentos em AL

Governador e secretários se reuniram com representantes da instituição financeira internacional

27/04/2019 15:33

A- A+

Agência Alagoas

compartilhar:

O governador Renan Filho se reuniu, nesta sexta-feira (26), no Salão de Despachos do Palácio República dos Palmares, com representantes do Banco Mundial. Segundo o chefe do Executivo, a instituição financeira internacional está realizando um estudo aprofundado nas áreas da educação, saúde e segurança pública para apoiar com investimentos as políticas públicas nesses setores.

“O Banco Mundial está nos ajudando do ponto de vista técnico a estruturar e a dar eficiência aos investimentos públicos de Alagoas no futuro. Eles vieram aqui estudar os nossos indicadores fiscais e identificaram a nossa capacidade de pagamento”, revelou o governador.

Os representantes do Banco Mundial teceram elogios à política fiscal do Governo alagoano, que prima pelo equilíbrio das contas públicas. Eles destacaram, ainda, os investimentos feitos nas áreas da segurança pública, educação e saúde.

“Ouvir isso do Banco Mundial é sempre muito significativo. Aproveitei a reunião para dizer que o nosso desafio agora é entregar essa ampliação de políticas públicas que temos feito, concluir o que a gente começou com a eficiência que o Estado precisa ter e manter a solidez fiscal para o futuro”, acrescentou Renan Filho.

Participaram da reunião, dentre os representantes do Banco Mundial, o coordenador econômico, Rafael Muñoz; o especialista em desenvolvimento social, Alberto Costa; o gerente de projetos e especialista no setor público, Daniel Ortegas; e o consultor da área fiscal, Rafael Ornelas.

Além do governador, estiveram presentes ao encontro os secretários de Estado da Fazenda, George Santoro; do Planejamento, Gestão e Patrimônio, Fabrício Marques; da Saúde, Alexandre Ayres; a secretária especial do Tesouro Estadual, Renata dos Santos; o diretor-presidente da Alagoas Previdência, Roberto Moisés; o superintendente do Tesouro Estadual, Paulo Castro; e o secretário adjunto da Segurança Pública, Carlos Neto.

Primeira Edição © 2011