Brasil encerra 1º dia em penúltimo no adestramento dos Jogos Equestres

13/09/2018 21:25

A- A+

EFE

compartilhar:

A equipe brasileira de adestramento encerrou o primeiro dia de disputas nos Jogos Equestres Mundiais, na cidade americana de Tryon, na 14ª e penúltima posição, à frente apenas da Rússia, enquanto a Alemanha obteve a liderança.

O Brasil foi representado neste primeiro dia por Leandro Aparecido Silva, que marcou 63.171 pontos, e Giovana Pass, que obteve 65.217. A pontuação da amazona deixou o representante sul-americano à frente dos russos, já que o pior desempenho é descartado para efeitos de classificação.

Na parte de cima da tabela, a Alemanha se colocou no topo graças a Jessica von Bredow-Werndl, que fez 76.677 pontos, contra 75.248 de Juliette Ramel, responsável por deixar a Suécia na vice-liderança.

As seis melhores equipes do adestramento garantirão vaga nos Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio. Ao final do primeiro dia, além de alemães e suecos, estariam classificados os Estados Unidos, que vêm em terceiro lugar, o Reino Unido, quarto colocado, a Holanda, quinta, e a Espanha, que fecha o top 6.

Medalhista olímpica nos Jogos de 2004, em Atenas, a amazona Beatriz Ferrer-Salat levou o time espanhol à sexta posição, com a marca de 72.919 pontos. Ela disse que uma alta na temperatura no Centro Equestre Internacional de Tryon (TIEC), onde o evento é realizado, a impediram de ter um desempenho melhor.

"No aquecimento, o cavalo foi muito bem, mas quando entramos na pista o calor estava forte, o que atrapalha porque respira muito forte e sua muito pouco. Cometemos alguns erros grandes, mas estou contente", declarou a amazona à Agência Efe.

A terceira sessão do adestramento por equipes começará amanhã às 9h (local, 10h de Brasília), e terá o brasileiro Pedro de Almeida. A quarta, às 14h (local, 15h de Brasília), contará com João Victor Marcari Oliva, filho da ex-jogadora de basquete Hortência.

A organização vem acompanhando de forma constante a evolução do furacão Florence, que nas últimas horas caiu para a categoria 3 na escala de Saffir-Simpson, com ventos de até 205 km/h no caminho rumo à Carolina do Norte, estado onde Tryon está localizada, e à Carolina do Sul, aonde chegará na próxima sexta.

Desta forma, uma porta-voz da Federação Equestre Internacional (FEI), organizadora do evento, confirmou à Efe que manterão o programa previsto, embora manterão o alerta caso a situação piore nas próximas horas.

"A situação muda de forma muito rápida, mas esperamos que as boas notícias se mantenham e, dada a situação de Tryon, não tenhamos que lamentar incidentes", afirmou a porta-voz.

Primeira Edição © 2011