População de rua tem projeto de vida resgatado

28/07/2018 16:26

A- A+

Ascom Semas

compartilhar:

Comemorando dados positivos de inserção da população em situação de rua no programa habitacional, onde mais de 100 famílias receberam uma casa no ano de 2017 através dos encaminhamentos socioassistenciais, a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) continua trabalhando no resgate do projeto de vida destas pessoas. Diariamente as equipes avançam no atendimento, principalmente, de quem está acolhido nas Casas de Passagem.

É o caso do casal Mariluce e Luiz Carlos, que está há dois meses na Casa de Passagem Familiar. Os dois saíram de Lagoa da Canoa devido ao desemprego e com o sonho de conseguir uma vaga no mercado de trabalho da capital. Como não tinham parentes em Maceió, nem como se sustentar, foram parar nas ruas.

Os dois foram atendidos pelas equipes da Semas e encaminhados para o acolhimento institucional na Casa de Passagem Familiar. A partir daí os profissionais da unidade vêm trabalhando o resgate do projeto de vida do casal, iniciado pela retirada dos documentos que ambos haviam perdido.

“Nós já conseguimos retirar os documentos do seu Luiz Carlos e estamos, junto com a Defensoria Pública, buscando a segunda via da certidão de nascimento da dona Mariluce, que é natural de Pernambuco. O trabalho com o casal já avançou bastante. Seu Luiz Carlos tem experiência na construção civil, já conseguiu nesse tempo alguns pequenos trabalhos e estamos em busca de algo mais estável para ele. Como ele já está com a documentação, conseguimos também inseri-lo nos programas sociais e já está recebendo o Bolsa Família”, explicou a assistente social da Casa de Passagem Familiar, Roseane Farias.

Para Luiz Carlos e Mariluce, ser acolhido na Casa de Passagem Familiar foi a melhor coisa que aconteceu para que a vida deles ‘voltasse aos trilhos’. “A gente veio tentar a sorte. Nos deparamos com muita coisa nas ruas, mas, Graças à Deus, fomos muito bem acolhidos aqui na Casa, todos estão dando muito apoio a gente. Com fé em Deus esta semana a gente vai para a nossa casinha, já que estou no Bolsa Família e consegui juntar um dinheiro com os trabalhos que arrumei. As coisas estão se ajeitando e sei que agora vai dar certo”, destacou o pedreiro.

O casal deve deixar a Casa de Passagem nos próximos dias, mas vai continuar sendo acompanhado pela equipe técnica. “Neste período em que estão na Casa de Passagem, as equipes trabalham a autonomia dos dois, para que eles consigam sair da situação de rua de forma concreta e não voltem à condição de vulnerabilidade extrema que viviam nas ruas. Eles vão continuar sendo acompanhados pela Assistência Social e inseridos em outros programas para que não retornem à situação de rua”, completou a secretária de Assistência Social de Maceió, Celiany Rocha.

A história de sucesso do Luiz Carlos e Mariluce é apenas uma das várias que estão sendo trabalhadas nos equipamentos sociais voltados ao atendimento à população de rua em Maceió atualmente. Na Casa de Passagem Professor Manoel Coelho Neto, o conhecido Albergue Municipal, as aulas de alfabetização dentro da unidade têm promovido a inclusão. Semanalmente, cerca de 20 usuários do Albergue estão sendo alfabetizados por uma professora da Secretaria Municipal e Educação (Semed). O curso tem duração de oito meses e faz parte do Ensino de Jovens, Adultos e Idosos (Ejai) do Projeto Brasil Alfabetizado.

“As aulas estão acontecendo desde o início do ano e nós temos baixa evasão, o que é muito comemorado. Estamos proporcionando novas oportunidades, até porque muitas vezes é difícil inserir um dos nossos usuários no mercado de trabalho devido a baixa escolaridade”, disse a coordenadora da unidade, Jeane Medeiros.

Serviços

São diversos os serviços ofertados pela Semas para população em situação rua. O trabalho tem início muitas vezes com o Serviço Especializado em Abordagem Social, onde cinco equipes trabalham no atendimento nas ruas de Maceió.

A população de rua em Maceió conta com dois Centro de Referência Especializado para a População em Situação de Rua (Centro POP) que ofertam assistência especializada e completa à população de rua. Os equipamentos funcionam de 8h às 16h e servem de apoio para higiene pessoal da população de rua. Nos espaços não apenas são encaminhados os usuários para o atendimento nos programas sociais, mas também é oferecido cultura, lazer e esporte, com oficinas diária de resgate da autoestima e autonomia deste público.

Maceió conta ainda com duas unidades de acolhimento para população em situação de rua, uma que atende adultos de ambos os sexos e outra Casa de Passagem Familiar, que atende famílias em situação de rua. Nestes espaços são ofertadas alimentação, espaço para higiene pessoal e acolhimento de pernoite. As pessoas atendidas nas unidades de acolhimento são acompanhadas para resgate do projeto de vida.

Há também um canal de comunicação, o número 0800 284 8048, para que a população repasse informações sobre famílias ou pessoas isoladas em situação de vulnerabilidade social nas vias da capital e a Prefeitura de Maceió possa acionar as equipes que estão preparadas para atender a demanda.

Além da Semas, a Prefeitura de Maceió têm serviços ofertados para este público através da Secretaria Municipal de Saúde, com o Consultório na Rua, que leva atendimentos de saúde para a população em vulnerabilidade nas ruas. E ainda o Grupamento de Atenção à População em Situação de Rua (GPOP), da Secretaria Municipal de Segurança Comunitária e Convívio Social, que é um grupamento da Guarda Municipal de Maceió criado para executar de forma complementar ações e atividades orientadoras e preventivas de segurança comunitária para o segmento social. Todas as secretarias trabalham de forma integrada garantindo mais qualificação no acompanhamento a estas pessoas.

Primeira Edição © 2011