Príncipe Charles nega ter influenciado sobre bispo pedófilo

27/07/2018 15:20

A- A+

EFE

compartilhar:

O príncipe Charles da Inglaterra afirmou nesta sexta-feira que não influenciou na investigação sobre o bispo da igreja anglicana Peter Ball, condenado em 2015 por abuso sexual a 18 pessoas, entre elas menores de idade.

Em uma declaração lida nesta sexta-feira pela advogada Fiona Scolding durante a última sessão de uma comissão de investigação independente sobre o caso Ball, o príncipe Charles desmentiu ter exercido pressões sobre membros da polícia "em 1992 ou 1993", uma afirmação que qualificou de "falsa".

"Em nenhum momento tentei influenciar no resultado de nenhuma das investigações policiais sobre Peter Ball e também não instruí ou encorajei meu pessoal a tal ação", afirmou.

Na declaração de seis páginas com data de 10 de julho, o herdeiro ao trono britânico disse sentir um "profundo pesar", já que, junto a outras pessoas, foi "enganado" por Ball, que foi convidado em várias ocasiões, desde 1993, para dar a comunhão em sua casa e que lhe parecia "uma pessoa interessante e encantadora".

"Continua sendo uma fonte de lamento pessoal profundo ter sido enganado durante tanto tempo sobre a verdadeira natureza das atividades do senhor Ball", apontou.

Em 2015, Ball, de 86 anos, foi preso durante dois anos e oito meses por abusar sexualmente de 18 adolescentes e homens durante 30 anos entre as décadas de 70 e 90.

O primogênito da rainha Elizabeth II explicou que o clérigo o comunicou que estava envolvido em "alguma forma de 'indiscrição'" que em 1993 o levou a renunciar de seu posto como bispo de Gloucester (Inglaterra), mas que não foi até sua condenação em 2015 quando - afirmou - conheceu os verdadeiros motivos da renúncia.

"Os eventos posteriores demonstraram sem lugar de dúvidas, para o meu profundo pesar, que eu, junto com muitos outros, tínhamos sido enganados", recalcou.

Após a renúncia, o primeiro à linha de sucessão ao trono britânico relatou que o religioso e seu irmão Michael, que mais tarde também se transformaria em bispo, ficaram sem lar e contavam com pouco dinheiro, por isso que foram seus inquilinos de 1997 a 2011.

"Ocasionalmente enviava pequenos presentes em forma de dinheiro aos irmãos, como faço com muitas pessoas necessitadas, e depois surgiu o interesse de Peter Ball em se transformar em inquilino de uma propriedade do Ducado da Cornualha", disse.

O herdeiro da monarquia britânica ressaltou seu "profundo pesar" pelo comportamento do clérigo e mostrou apoio às vítimas.

"O meu coração está com as vítimas do abuso. Aplaudo a coragem enquanto reconstroem suas vidas e, frequentemente, oferecem um apoio incalculável a outras pessoas que sofreram", sustentou.

Primeira Edição © 2011