Coleta seletiva gera emprego e exemplifica

14/07/2018 10:04

A- A+

Ascom Slum

compartilhar:

Há um ano, a coleta seletiva porta a porta tornou-se realidade em Maceió. Iniciativa pioneira da Prefeitura viabilizou, por meio da Superintendência de Limpeza Urbana de Maceió (Slum), a contratação de quatro cooperativas de catadores de materiais recicláveis para fazer a coleta na casa do cidadão. Hoje são atendidos nove bairros, alcançando 18 mil residências. Em outras partes da cidade, há Pontos de Entrega Voluntária, os PEVs, onde a população pode descartar os materiais recicláveis que são posteriormente recolhidos pelas cooperativas.

A implantação do projeto resultou no aumento de 50% da renda das cooperativas e no crescimento do número de cooperados. Para a presidente da Cooprel Serraria, Maria José Lins, a contratação representou uma mudança significativa na vida de todos os cooperados. “Estamos trabalhando muito para que tudo continue dando certo. Só tenho a agradecer porque hoje, nossa vida é outra”,disse.

Para serem contratadas, as cooperativas se adequaram e contrataram profissionais como contadores, auxiliares administrativos e profissionais da área de meio ambiente. As medidas foram necessárias para garantir a eficácia do serviço prestado à população e a organização interna das cooperativas.

O serviço é executado pela Cooplum e a Cooprel do Benedito Bentes, a Cooprel da Serraria e a Coopvila, instalada em Jacarecica. Atualmente, são atendidos os bairros de Cruz das Almas, Pontal da Barra, Ponta Verde, Jatiúca, Mangabeiras, Benedito Bentes, Serraria, Antares e Jacarecica.

Parte fundamental do sucesso da coleta seletiva, a educação ambiental tem sido intensificada nos bairros atendidos. “É indispensável que a população colabore com o projeto. Por isso, sabemos que a informação é o primeiro passo”, comentou o superintendente de Limpeza Urbana de Maceió, Jean Carlos Gomes.

O prefeito Rui Palmeira reforça o chamamento da população para auxiliar no cuidado com a limpeza da cidade. “Maceió conta com uma coleta domiciliar regular, além dos mutirões de limpeza, das varrições, da coleta seletiva e das limpezas em córregos e canais. Mas a contribuição do cidadão é indispensável. Fazer o descarte correto e praticar a coleta seletiva é o caminho para uma cidade sustentável e isso só faremos todos juntos”, afirmou.

Danielle Acioli, que mora no bairro do Antares, faz a separação de seus resíduos, que são recolhidos pela Cooprel Serraria. “Sempre quis praticar a coleta seletiva, e agora fazemos do jeito certo. Fazemos a separação, limpamos os materiais e sabemos que estamos contribuindo com o meio ambiente. Acho que cabe a cada um de nós buscar fazer o que está ao nosso alcance para ajudar no desenvolvimento da cidade”, disse.

Pontos de Entrega Voluntária (PEV)

Os bairros que ainda não são atendidos com a coleta porta a porta estão recebendo Pontos de Entrega Voluntária (PEVs) de material reciclável, já instalados em dez localidades: Praça do Centenário, no Farol; Praça Genésio de Carvalho, na Gruta; Praça da Faculdade, no Trapiche; orla da praia de Ponta Verde; Terminal do Graciliano Ramos; Praça do Colégio Atheneu, no Salvador Lyra; Praça Lucena Maranhão, em Bebedouro; Praça do Conjunto Gurguri, em Guaxuma; Praça Nossa Senhora de Fátima, no Feitosa, e Praça do Bicentenário, na Serraria.

Para saber mais sobre a coleta seletiva ou tirar outras dúvidas sobre limpeza urbana, o cidadão pode entrar em contato com a Slum pelo 0800 082 2600 ou pelo WhatsApp 9 8802-4834. A Central de Limpeza funciona de segunda a sexta, das 8h às 17h.

Primeira Edição © 2011