Novos magistrados conhecem práticas ressocializadoras de Alagoas

21/06/2018 17:18

A- A+

Agência Alagoas

compartilhar:

Conhecer a rotina dos presídios é fundamental para promover a justiça. Ciente dessa importância, a Secretaria de Ressocialização e Inclusão Social (Seris) propiciou mais experiência aos magistrados recém-empossados em Alagoas com uma visita guiada. A iniciativa foi conduzida pelo chefe de Gestão Penitenciária da Seris, TC Gustavo Maia, e juiz José Braga Neto.

 

Os juízes estiveram no Centro de Monitoramento Eletrônico de Presos, Presídios Cyridião Durval, Baldomero Cavalcanti, Santa Luzia, Núcleo Ressocializador, Casa de Custódia, Centro Psiquiátrico Judiciário Pedro Marinho, dentre outras unidades. Na ocasião, agentes penitenciários e internos relataram as práticas que mantém Alagoas uma referência na gestão prisional.

 

O TC Gustavo Maia salienta o trabalho conjunto com o Tribunal de Justiça para otimizar o processo de Ressocialização. "A visita dos magistrados acompanhado pelo juiz de Execuções Penais é importante para estreitar ainda mais a relação com o Poder Judiciário. Essa parceira serve como termômetro da ressocialização no sentido do cumprimento da pena", salienta o chefe.

 

O juiz coordenador da Escola Superior da Magistratura de Alagoas (Esmal), Anderson Passos, explica a importância da visita. "A Esmal tem essa visão: é preciso mostrar a realidade do sistema prisional. Essa experiência contribuirá tanto na formação deles, quanto na apresentação dos aspectos evolutivos do Estado, como é o caso do sistema de monitoramento", afirma o juiz Passos.

 

O juiz Braga Neto compartilha da visão do juiz Passos. "A prisão, de modo geral, é uma exceção, mas no Brasil se tornou uma regra. Precisamos conhecer a realidade dos apenados e como essa realidade vai impactar na profissão do magistrado", salienta. Já a magistrada Nathallye Alcântara, lembra: “Essa visita dá respaldo para tomarmos decisões acertadas”.

Primeira Edição © 2011