Mais de 350 mil alagoanos participam da primeira fase da OBMEP

06/06/2018 08:03

A- A+

Agência Alagoas

compartilhar:

Dezoito milhões de estudantes da rede pública e privada de todo o país participaram da primeira etapa da 14ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), nesta terça-feira (5). As provas aconteceram em 54.496 unidades de ensino, com a participação de 350.497 jovens alagoanos.

Na rede estadual de Alagoas,168.239 alunos de 275 escolas estão inscritos para as provas. Para Ricardo Lisboa, superintendente de Políticas Educacionais da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), a Olimpíada é uma importante ferramenta para a disseminação da Matemática.

“A OBMEP é uma forma atrativa de se trabalhar a disciplina e uma ferramenta que mobiliza toda a escola com práticas integradoras e atividades diferenciadas. A Seduc, em parceria com a Universidade Federal de Alagoas (Ufal), tem feito muitas formações com os professores de Matemática da rede estadual onde a OBMEP tem sido uma temática recorrente. A próxima acontece ainda este mês, com o Simpósio de Matemática”, conta.

O coordenador da OBMEP em Alagoas e professor do Instituto de Matemática da Ufal, Adelailson Peixoto, tem boas expectativas em relação à primeira fase da competição. “Tivemos inscrições dos 102 municípios alagoanos e escolas, professores e alunos estão muito empenhados para a prova”, revela.

Preparativos 

Em toda a rede estadual, as escolas tiveram um olhar especial para a Olimpíada. No Centro Educacional de Pesquisa Aplicada (Cepa), além do Polo Olímpico Estadual de Matemática (Poema) instalado na Escola Estadual Moreira e Silva, os alunos participaram de simulados e aulões no intuito de se preparar melhor para a prova.

É o caso da Escola Estadual de Ensino Integral Teotônio Vilela, onde foram examinados os alunos do 6º ao 9º anos do ensino fundamental. Para a coordenadora pedagógica Sônia Farias, a ação possibilita um avanço para o ensino de Matemática, pois permite identificar quais assuntos precisam ser aprofundados em sala de aula.

“Para a preparação dos estudantes, trabalhamos durante, aproximadamente, um mês com aulas diferenciadas e simulados das provas anteriores. Separamos duas aulas por semana para que pudessem ser utilizadas somente para a OBMEP”, relata.

Já na Escola Estadual Moreira e Silva, onde foram avaliados estudantes do ensino médio, a diretora-adjunta Valdenise Viana relata que, além do Polo Olímpico implantado pela Seduc, os alunos participaram de um aulão especial na última sexta-feira (dia 1º). Ela acredita que a OBMEP ajuda os professores a abordar temas mais cotidianos na disciplina.

“O exame é benéfico para toda a comunidade estudantil. Antes da realização da prova, os professores participaram de uma formação continuada para descobrir a melhor forma de revisar os assuntos. Após a prova, saberemos como foi absorvida a disciplina pelos alunos”, conclui.

Expectativas

Alunos da Escola Estadual Moreira e Silva, Ariana Myrtes e Flávio Augusto estão otimistas em relação à prova. Eles dizem que, além do aulão de sexta-feira, os professores já estavam trabalhando a prova da OBMEP no ensino cotidiano, com atividades voltadas à prova e simulados onde respondiam questões das provas anteriores. Eles almejam passar para a segunda etapa e lutar por medalhas. 

A Olimpíada

Realizada pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), em parceria com a Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), a OBMEP é direcionada a estudantes do 6º ano do ensino fundamental ao ensino médio de escolas públicas e particulares. Tem como missão estimular o interesse pela Matemática e revelar talentos na área.

Em Alagoas, a Olimpíada é coordenada pela Ufal, contando com o apoio da Seduc, municípios alagoanos e Instituto Federal de Alagoas (Ifal). Desde o ano passado, as unidades da rede privada também participam da competição.

Em 2017, o Estado teve 87 medalhistas na OBMEP: quatro ouros, oito pratas e 75 bronzes. Dentre os medalhistas, 82 são de alunos da rede pública e cinco das escolas privadas. Além disso, Alagoas obteve 374 menções honrosas - quando aluno chega perto de obter uma medalha - e premiações para 19 escolas e 17 professores da rede pública. Pela rede estadual, foram 17 medalhistas de bronze.

Primeira Edição © 2011