Azulão carimba a faixa do campeão goiano

No duelo dos campeões teve a apresentação de Walter Gordinho

14/04/2018 18:59

A- A+

Futebol Interior

compartilhar:

No duelo entre os campeões alagoano e goiano, foi o Goiás que teve a faixa carimbada. Promovido da Série C em 2017, o CSA foi mais eficiente e venceu, por 2 a 1, na tarde deste sábado (14), no estádio Rei Pelé, em Maceió (AL). O duelo marcou a rodada de estreia do Campeonato Brasileiro da Série B e também teve como destaques a troca de faixas entre os clubes e a apresentação de Walter Gordinho, ex-Fluminense.

Seis dias após encerrar um jejum de dez anos sem um título estadual, o CSA estreia com o pé direito em seu retorno à Série B. O clube não disputava a divisão de acesso há 25 anos, desde de 1992. De quebra, ainda pode tirar um sarro do rival CRB, que perdeu para o Oeste, por 2 a 0, resultado que causou a queda do técnico Mazola Júnior.

Enquanto isso, o atual tetracampeão goiano, um dos favoritos ao acesso, inicia seu terceiro ano seguido na competição com derrota. Resultado decepcionante para quem tem a segunda maior cota da Série B, com R$ 26 milhões. O Coritiba recebe R$ 35 milhões e todos os demais 18 times levam apenas R$ 6 milhões.

MUITO EQUILÍBRIO
CSA e Goiás fizeram um duelo equilibrado desde os primeiros minutos. Ao final da primeira etapa, os donos da casa tiveram apenas uma finalização a mais que o adversário: 5 a 4. A primeira delas aos dois minutos, quando o meia Daniel Costa cobrou falta na área e o lateral Breno desviou de cabeça com perigo, pela linha de fundo.

A resposta do time goiano também saiu em jogada de bola parada e foi ainda mais incisiva. O meia Giovanni cobrou falta na área e o zagueiro Eduardo Brock cabeceou para o fundo das redes. Para sorte dos mandantes, a arbitragem anulou o lance assinalando impedimento.

Depois do início empolgante, o ritmo do jogo caiu consideravelmente. Somente aos 34 minutos, o duelo voltou a ganhar emoção em oportunidade do Verdão. O atacante Maranhão levantou na área e o zagueiro David Duarte ajeitou de cabeça. O atacante Júnior Viçosa chegou batendo e tirou tinta do poste esquerdo do goleiro Cajuru.

Os alagoanos, entretanto, não ficaram para trás e chegaram por duas vezes até o intervalo. Aos 35 minutos, o lateral Rafinha cruzou, o atacante Niltinho escorou de peito e Daniel Costa chutou rasteiro para boa defesa do goleiro Marcelo Rangel. Aos 36, Niltinho rolou para o volante Edinho, que concluiu. O arqueiro salvou de novo ao espalmar para escanteio.

ENFIM, OS GOLS
Na segunda etapa, a história do jogo foi completamente diferente. Um dos destaques do período inicial, Niltinho abriu o placar logo aos nove minutos. O meia Daniel Costa deu um passe açucarado para o atacante, que só teve o trabalho de empurrar para as redes de Marcelo Rangel.

O Goiás até tentou responder em chute do meia Pedro Bambu, defendido por Cajuru aos 12. No lance seguinte, entretanto, o Azulão ampliou. Rafinha levantou pela esquerda e o atacante Michel Douglas cabeceou de costas, surpreendendo o goleiro.

Os dois gols sacudiram o time visitante, que saiu para o “tudo ou nada”. E os comandados do técnico Hélio dos Anjos conseguiram colocar fogo no jogo aos 21 minutos. Após cobrança de falta ensaiada, o zagueiro David Duarte subiu no terceiro andar e cabeceou para o chão, sem chances de defesa.

O empate quase saiu aos 23 minutos. Maranhão ganhou no corpo do marcador e finalizou para grande defesa de Cajuru. O Azulão, entretanto, não ficou para trás e também chegou aos 26. Celsinho soltou uma bomba e Marcelo Rangel mandou para escanteio.

Apesar de pressionar, o clube esmeraldino não chegou ao empate. Sua melhor chance de empatar aconteceu aos 43 minutos, quando Rafinha chutou rasteiro rente à trave. Já os donos da casa poderiam ter ampliado com o meia Echeverría, que saiu na cara do gol, mas bateu em cima de Marcelo Rangel.

PRÓXIMOS JOGOS
Na próxima sexta-feira, às 20h30, o CSA volta a campo para enfrentar o São Bento, no estádio Walter Ribeiro, em Maceió. Enquanto isso, o Goiás recebe o Figueirense, no sábado, às 16h30, no estádio Serra Dourada, em Goiânia.

Primeira Edição © 2011