Cada macaco no seu galho

03/03/2018 09:31

A- A+

Geraldo Câmara

compartilhar:

                                     

               Esse é um ditado que tem tudo a ver com o serviço público de um modo geral e com raras exceções é o que não acontece. Quantos cargos são ocupados, seja por interesse político ou pessoal, seja por má formação de quem os ocupa, seja ainda porque o seu ocupante não está nem aí nem está chegando para o interesse da população? A culpa nem sempre é do dirigente máximo, até porque nem pode saber de tudo perfeitamente e por outro lado precisa, politicamente, aceitar determinadas indicações, principalmente nos estágios inferiores que atendem as necessidades dos que pedem. E isto ão ocorre apenas nos executivos, não. Ocorre no legislativo e até no poder judiciário onde os métodos modernos de RH nem pensam em atingir seus objetivos em tais casos. E é exatamente aí que os "mal feitos" acontecem, que as improbidades surgem, que o caos e o destempero ficam contra os que estão à frente das decisões e, sobretudo contra o povo que acaba por sofrer a crise de incompetência que assola determinados setores do país por pura incompetência ou por lotação errada de determinados servidores. Deixando claro que nem sempre é a incompetência que o classifica, mas a falta de possibilidade de colocá-lo no lugar que o seu conteúdo recomenda. É a tal história do título deste artigo: Cada macaco no seu galho.     

Primeira Edição © 2011