Aumenta confiança do empresário de Maceió pelo segundo mês

O desempenho em Alagoas ainda não está no mesmo ritmo dos dados nacionais, mas os resultados positivos já contagiam as expectativas locais

25/09/2017 12:08

A- A+

Fecomércio

compartilhar:

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC), em setembro, apresentou o segundo mês consecutivo de melhora das expectativas dos empresários, alta de 6,28%, na capital alagoana. O resultado é fruto das informações nacionais sobre o crescimento brasileiro, mesmo ainda não tendo sido observado em Alagoas. O País obteve crescimento de 0,3%, no primeiro semestre, e demonstra a nível nacional criação de postos de trabalho nos últimos três meses, incluindo agosto, ainda que tímida. A pesquisa foi realizada pelo Instituto Fecomércio, em parceria com a Confederação Nacional do Comércio (CNC).

Em Alagoas, os dados do Comércio e de Serviços são positivos. O comércio acumula crescimento de 1,3% ao longo de 12 meses. Embora, os dados sobre a geração de empregos apontem fragilidade. Enquanto o saldo brasileiro demonstrou geração de 35 mil postos de trabalho pelo País, em agosto, Alagoas, no mesmo período, perdeu 424. “São oito meses consecutivos de perdas de postos de trabalho. Já em Maceió, ao contrário do Estado, foram criados 160 empregos formais”, afirmou o assessor econômico da Fecomércio, Felippe Rocha.

Conforme a melhora das vendas, mesmo com baixa na geração de postos de trabalho, o empresário se sente mais confiante no curto prazo, pois toma como parâmetro a conjuntura brasileira e acredita o mesmo será replicado na região. No curto prazo, a melhora é de 6,35%.

Como os indicadores demonstram crescimento do País, em 2018, de 2,2% e, em 2019, de 3% cria-se um ambiente de otimismo, gerando expectativas de longo prazo melhores. A pesquisa aponta que os empresários estão 4,8% mais confiantes sobre o futuro brasileiro. “Tudo isso estimula o índice de investimentos dos empresários do comércio maceioense, com alta de 10,89%, com destaque para a intenção de contratar que cresceu, em setembro, 16,9%, puxada pela melhora de curto prazo, pelo início dos investimentos natalinos e pela perspectiva de que 2018 e 2019 serão melhores do que os últimos três anos”, explicou Rocha.

A pesquisa do Instituto Fecomércio foi realizada nos últimos 10 dias de agosto. Foram entrevistados 189 empresários do setor em Maceió.

 

Primeira Edição © 2011