Apesar de fraca, passagem de Irma devasta Flórida

O desastre, que deixou ao menos 3 milhões de casas sem luz, também forçou a retirada de 6,3 milhões de pessoas de suas residencias

11/09/2017 13:20

A- A+

Exame

compartilhar:

Os Estados Unidos e o Caribe amanhecem com um misto de sentimentos nesta segunda-feira: parte é a incerteza e o medo sobre os rumos do furacão Irma, parte é a certeza de que a reconstrução de cidades e vidas será longa.

Na manhã deste domingo, o furacão Irma aterrissou na Flórida, onde deixou mais de 3 milhões de casas sem luz e pelo menos 3 mortos.

Antes de chegar aos Estados Unidos, o furacão já havia deixado 28 mortos no Caribe, onde passou, entre outros países, por Cuba, Haiti e República Dominicana — lugares que agora esperam os rumos do furacão Jose.

É esperado que o Irma, que foi rebaixado para força 1 e ainda sustenta ventos de até 150kmh/h, atinja cidades como Tampa e Fort Myer, mais ao norte do estado da Flórida.

Até a noite de domingo, pelo menos 6,3 milhões de pessoas tinham ordens de evacuar suas residências. O total corresponde a um terço dos habitantes da Flórida.

É uma das maiores ordens de evacuação já dadas pelo governo nos Estados Unidos, diante de um furacão que pode ser o mais forte a já ter passado pelo estado. “A melhor coisa que você pode fazer agora para ajudar é rezar”, disse o governador Rick Scott no domingo.

Segundo o presidente Donald Trump, as agências federais e estaduais estão cooperando para encontrar a melhor solução para as evacuações e retirar as pessoas do caminho do furacão.

“A notícia ruim é que este é um grande monstro, mas penso que estamos muito bem coordenados”, disse a repórteres no domingo, ao sair de reuniões com membros do seu gabinete no refúgio de Camp David, Maryland.

O presidente também ligou para governadores e oficiais dos estados de Alabama, Georgia, Carolina do Sul, Tennessee e Flórida — todas regiões que podem sofrer severas tempestades nesta segunda-feira como efeito dos ventos do Irma.

É a primeira vez que duas tempestades de categoria 4 atingem os Estados Unidos em tão pouco tempo. No final de agosto, a tempestade Harvey atingiu o Texas e deixou um estrago estimado entre 80 e 100 bilhões de dólares.

O congresso americano aprovou um pacote 7,4 bilhões de dólares em ajuda de emergência em decorrência do Harvey, e 450 milhões adicionais para financiar as perdas a pequenos negócios da região de Houston, a cidade mais atingida pelas enchentes e pela chuva. A reconstrução da Flórida não irá sair por muito menos.

Primeira Edição © 2011