Polícia prende 36 integrantes de facção criminosa

07/09/2017 10:29

A- A+

PC-AL

compartilhar:

Durante coletiva à imprensa, na tarde da quarta-feira (6), a Secretaria de Estado da Segurança Pública de Alagoas (SSP) divulgou detalhes da prisão de 36 pessoas, dentre elas, 20 que já cumprem pena no sistema prisional e possuem ligação com uma facção criminosa. A investigação que resultou nas prisões durou cinco meses.

As investigações foram realizadas pela Divisão Especial de Investigações e Capturas (Deic), da Polícia Civil, e contaram com a participação da Polícia Militar, Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gecoc), Ministério Público do Estado e Secretaria de Estado da Ressocialização e Inclusão Social (Seris). O objetivo era combater facções criminosas que agiam em Alagoas e possuíam ramificações em outros estados.

O diretor da Deic, delegado Mário Jorge, deu detalhes à imprensa de como ocorreram as prisões e também falou sobre como o grupo atuava. A operação foi dividida em partes, sendo a primeira delas realizada no dia 16 de julho.

Na ocasião foram presos Felipe Matheus Correia Pereira, o ‘Irmão Teteu’; Cristhian Pedro dos Santos, conhecido como ‘Irmão Sukito/Neguinho’; Lucas Wanderlei Santos, o ‘Irmão Ureia’, e Eduardo Rafael Calisto da Silva, o ‘Irmão Toi’.

“Eles vinham sendo investigados e organizavam praticar uma chacina no bairro da Jatiuca, com o objetivo de matar integrantes de uma facção rival. Porém, eles foram alcançados pelas equipes da Deic e do Gecoc e acabaram presos”, explicou.

Com eles foram apreendidos o veículo que seria utilizado no crime, uma pistola 9 milímetros com dois carregadores e 21 munições, uma pistola calibre 380 com um carregador municiado e outras 15 munições, além de 2 kg de maconha.

No dia 8 de agosto, as equipes conseguiram abortar a tentativa de sequestro de um gerente de um supermercado na Barra de São Miguel. Na ocasião, três dos quatro suspeitos trocaram tiros com a polícia e acabaram vindo a óbito. Eles foram identificados como Claudio Barros do Nascimento Neto, Igor Alexandre Marques Dias, Jobson Wesley dos Santos Ferreira e Elder da Silva Ferreira.

No dia 10 de agosto, a Deic pediu a prisão, e os mandados foram expedidos pela 17ª Vara Criminal. Jardeilton dos Santos Silva, conhecido como ‘Irmão Del’, foi preso no bairro da Santa Amélia; Leandro de Lima Oliveira, o ‘Irmão Zinca’, foi preso no Barro Duro, e Artur de Souza Santos, o ‘Artur do Pó’, foi preso no bairro da Santa Lucia.

No dia 17, uma equipe da Deic cumpriu um mandado de prisão no município de Roteiro, expedido contra Ronaldo dos Santos, conhecido como ‘Fantasma’. Já no dia 31 foram presos Diego Almeida de Oliveira, o ‘Galeguinho’, preso no Conjunto Santa Maria; David Willames Silva, o ‘Zoi de Gato’, cuja prisão ocorreu no Conjunto Frei Damião, no Benedito Bentes; Erivan da Silva Rodrigues, o ‘Baleado’, preso no Conjunto Cidade Sorriso II, no Benedito Bentes,e Eduardo Felipe Souza Silva, preso no Conjunto Jardim Petrópolis.

Ao longo desta quarta-feira foram cumpridos mais 20 mandados de prisão, todos expedidos pela 17ª Vara Criminal. Os alvos também integram a facção criminosa e já cumpriam pena no sistema prisional.

“Apesar de todos estarem cumprindo pena, eles organizavam ações de várias modalidades de dentro do presídio para que o grupo executasse aqui fora. Agora, eles irão cumprir mais esta pena”, explicou o delegado Mário Jorge.

Os detentos são: Jeferson da Silva Lopes, o ‘Sanguinário’; Daniel de Souza, Robert Barbosa Moreira Perna, Jailson Tavares de Lima, o ‘Irmão Pequeno’; Vanderson da Silva, o ‘Irmão Muvuca’; José Welligton de Souza, o ‘Irmão Atila/Aquila’; Pablo Ramiro Pontes Rocha, João Batista da Silva Barros, o ‘João Diabólico’; Gabriel Pedrosa da Silva, Eduardo José da Conceição, conhecido como ‘Du’; Adeilson Rodrigues dos Santos, o ‘Avalanche’,; Alisson de Morais Correia, o ‘Corea’; Alfredo Filipe Tavares Lourenço, Kainan Felipe Guilherme de Almeida, Wallison Henrique Silva de Souza, conhecido como ‘Gigante’; Paulo Henrique Silva de Oliveira, o ‘Paulinho’; Mauricio Dias da Silva, conhecido como ‘Ninho’; João Paulo da Silva, o ‘JP’; Roniely da Silva Pereira, o ‘Irmão Osama’; e Flávio Soares da Silva, conhecido como ‘Flav. Ceguinho’.

“Todos os presos possuíam uma missão criminosa para praticar, como tráfico de drogas, vendas de armas, roubos a veículos, roubos a estabelecimentos comerciais, sequestro relâmpago e homicídios. Também manteremos presos 20 detentos para que eles prestem contas à sociedade alagoana”, completou o diretor da Deic.

O secretário da Segurança Pública, Lima Júnior, parabenizou o trabalho desempenhado pelas equipes de Inteligência da Polícia Militar e Civil e também as equipes que participaram de todas as fases da operação.

Ele destacou o importante papel do trabalho integrado, que resultou em mais um número expressivo de presos, e do árduo trabalho para que nenhuma organização criminosa consiga dominar ou promover a insegurança.

“O Estado de Alagoas jamais será refém de facções criminosas. Nós estamos reduzindo os índices de criminalidade e prendendo suspeitos de praticar crimes. Enquanto em muitos estados a criminalidade dispara, Alagoas segue na contramão. Quero deixar registrado que a Segurança Pública sempre dará a resposta necessária para quem quiser implantar o terror”, completou Lima Junior.

O delegado-geral da Polícia Civil, Paulo Cerqueira, destacou o trabalho realizado para combater as organizações criminosas e evitar os homicídios. “Evitamos várias chacinas por meio da ostensividade da polícias Civil e Militar. Não perdemos a vontade de combater o crime; estamos irmanados para combater o crime. Nunca se apreendeu tanta droga, tantas armas e prendeu tanta gente quanto nesta gestão”, afirmou o delegado.

Também presenta à coletiva, o comandante da Radiopatrulha, coronel PM Marlon Araújo, parabenizou o trabalho que vem sendo desempenhado e falou da importância de se realizar um trabalho integrado para que os resultados sejam positivos.

“Estamos diante do êxito da SSP no combate à criminalidade. Essa coletiva mostra a quantidade de foras da lei apresentada. Sempre destaco o trabalho desta gestão em buscar a Inteligência de forma integrada, o que faz com que tenhamos essa quantidade de presos. Com essa integração que a gente tem estamos vencendo a criminalidade. A guerra de facções é algo nacional, mas esse trabalho mostra que saímos na frente”, finalizou o coronel.

Primeira Edição © 2011