Secretaria do Planejamento geolocaliza principais pontos turísticos do Estado

23/06/2017 16:51

A- A+

Agência Alagoas

compartilhar:

Das praias aos equipamentos culturais, que a nossa terra tem pontos turísticos de encher os olhos e a mente, ninguém duvida. No entanto, até mesmo os moradores, por vezes, desconhecem a existência de alguns deles.

É justamente com o intuito de ‘colocar Alagoas no mapa’ que a Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag), em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur), geolocalizou os principais atrativos turísticos alagoanos.

Desenvolvido pela Superintendência da Produção da Informação e do Conhecimento (Sinc) da Seplag, o mapeamento resultou num banco de dados que disponibiliza as informações pesquisadas em diferentes plataformas. E o melhor: elas podem ser facilmente acessadas e utilizadas por qualquer pessoa.

Segundo o supervisor de Dados e Análise Geográfica da Sinc, Klebson da Silva, a primeira etapa do geolocalização se deu com o apoio de informações oferecidas por fontes oficiais. Posteriormente, o grupo responsável pelo trabalho processou os dados e verificou o que podia ou não ser trabalhado, organizando e unificando as informações. Por último, o grupo foi a campo conferir os dados e alinhá-los, para que eles sejam disponibilizados de forma patenteada e dinâmica à população.

“No Portal Alagoas em Dados, os cidadãos podem conferir os pontos turísticos e algumas informações pertinentes a eles em plataformas diferentes. Como trabalhamos com dados abertos, o intuito é facilitar a vida de quem quer utilizar esses conhecimentos, seja para uma simples consulta ou para o desenvolvimento de aplicativos. As possibilidades são infinitas”, explica Klebson da Silva.

Na plataforma, a população pode conferir os principais pontos turísticos do Estado em vários formatos, entre eles o GeoJSON, utilizado na estruturação de dados geoespaciais, o KML, que auxilia na visualização de conteúdos, como mapas em 2D e navegadores terrestres em 3D, e o SHP, ou Shapefile, que pode ser utilizado via softwares para geoprocessamento.

“Além de fomentar o desenvolvimento de ferramentas e de projetos, facilitando o empreendedorismo desse segmento, nosso intuito também é resgatar e mostrar o potencial turístico presente no Estado, desmistificando a ideia de que nossos atrativos se resumem às praias”, afirma o supervisor.

Para o superintendente de Turismo da Sedetur, Paulo Kugelmas, a iniciativa, realizada em parceria com a Seplag, além de trazer resultados positivos para o segmento, representa a união de forças do Estado em prol do avanço da população.

“Já existia a demanda de trabalhar os pontos turísticos de Alagoas com base em dados e informações, entretanto, a Superintendência de Turismo não dispõe de técnicos com o conhecimento específico necessário para desenvolver o recurso. Nesse sentido, quando trabalhamos em conjunto, nossos resultados são ainda melhores. Com a junção de conhecimentos, o Estado ganha sinergia e funciona melhor”, destaca Paulo Kugelmas.

Outras informações 

Além dos nossos principais pontos turísticos, outras informações socioeconômicas estão reunidas, de forma dinâmica e interativa, no Portal Alagoas em Dados. Na ferramenta, os usuários podem conferir também a geolocalização de várias estruturas que compõem o Estado, como fóruns, aglomerados subnormais, terminais de ônibus, descrições do artesanato alagoano, escolas estaduais, agências bancárias, postos do Samu, hidrelétricas, tribos indígenas, entre outras.

 Segundo o secretário do Planejamento e Gestão, Fabrício Marques Santos, estimular, cada vez mais, a transparência e o fomento de dados abertos na gestão pública é pensar estrategicamente e proporcionar subsídios para o desenvolvimento da sociedade. 

“É preciso que as secretarias e órgãos do Estado estejam sempre alinhados e que trabalhem juntos para que consigamos adotar uma postura diferente e inovadora, ainda mais produtiva, no serviço público. Ações como essa, desenvolvida junto à Sedetur, refletem nosso empenho em não só promover a cultura da transparência em Alagoas, ma, também, facilitar o caminho para quem quer e precisa empreender no nosso Estado.É uma via de mão dupla, onde todos acabam ganhando”, afirma o titular da pasta.

Primeira Edição © 2011