Servidores reagem com greve a reajuste zero de Rui Palmeira

19/06/2017 13:07

A- A+

Primeira Edição Impresso

compartilhar:

Com o anúncio de ‘reajuste zero’ para os servidores público, neste ano, o prefeito Rui Palmeira partiu para mais uma batalha com o funcionalismo da Prefeitura, que já se encontra em estado de greve, mesmo com ameaça de corte dos dias não trabalhados.

Em assembleia geral realizada na quarta-feira (14) na Praça Deodoro, em frente à sede da Câmara Municipal, os servidores municipais de Maceió decidiram deflagrar greve por tempo indeterminado, até que lhes seja concedido reajuste salarial.

Os grevistas alegam que a arrecadação do Município apresentou crescimento de 8,2%, quanto o prefeito Rui Palmeira (PSDB) ofereceu ‘reajuste zero’ para a categoria neste ano.

O pleito dos servidores tem como principal argumento a necessidade de cobrir as perdas inflacionárias do ano passado. Segundo o IBGE, a inflação de 2016 ficou em 6,29%.

Em nota, a Prefeitura diz estar estudando meios de conceder reajuste com a segurança de que poderá arcar com a folha salarial.

 

NOTA DA PMM

Ainda na véspera do feriado de Corpus Christi, a Prefeitura de Maceió emitiu a seguinte nota:

 “Segundo a Secretaria de Gestão de Maceió (Semge), diante da crise, o Município está trabalhando em medidas econômicas que possibilitem uma folga nas contas públicas necessária para concessão de um reajuste salarial responsável e que garanta o pagamento da folha de pessoal em dia - que é uma prioridade para a Prefeitura”. 

“A Semge ressalta ainda que tem discutido permanentemente com os sindicatos, apresentado os números e solicitou mais um prazo de 90 dias, período em que se espera uma melhora nos indicadores financeiros. A Prefeitura destaca ainda que, além dos salários, também tem mantido as progressões de carreira em dia, garantindo o direito dos servidores e buscando evitar perdas salariais do funcionalismo do município”.

 

Primeira Edição © 2011