GSP esfria o interesse em luta contra Anderson

17/05/2017 20:58

A- A+

Combate.com

compartilhar:

Você é tão bom quanto foi a sua última performance. A frase, dita por Dana white diversas vezes, serve para ilustrar o momento por que passa a imagem de Anderson Silva. O Spider, que já foi visto como o grande nome do UFC, venceu apenas uma de suas últimas seis lutas e viu a cotação do seu nome despencar na "bolsa de valores" da organização. Pelo menos é o que pensa o canadense Georges St-Pierre. O ex-campeão dos pesos-meio-médios disse, em entrevista ao site "MMA Junkie", que não pensa em fazer aquela que já foi sonhada como uma das maiores superlutas possíveis de ser realizadas pelo evento. A razão: a imagem de Anderson Silva não está mais em alta como antigamente.

- Poderia acontecer, mas depende das condições, porque lutas têm a ver com o momento. Uma hora a imagem do lutador está valorizada; em outra, não. E você sempre quer lutar contra quem está com a imagem mais valorizada possível. Existe essa flutuação. Não acho que a imagem de Anderson Silva esteja em alta neste momento. Ele é uma lenda por tudo o que fez no passado, mas não é mais o mesmo que era.

Uma luta entre Anderson Silva e Georges St-Pierre chegou a ser aprovada pelo brasileiro no passado, quando ambos estavam no topo de suas categorias. O canadense, no entanto, sempre foi reticente em enfrentar o Spider. Hoje em dia, com ambos longe das disputas de cinturão, uma superluta poderia ser considerada como viável pelo UFC, mas GSP parece não ter planos de aceitar uma eventual oferta.

Para Dana White, o canadense estaria mais próximo de voltar a lutar entre os meio-médios, já que sua luta contra Michael Bisping, válida pelo cinturão dos pesos-médios, foi retirada dos planos da organização, já que Saint-Pierre declarou não estar pronto para enfrentar o britânico antes de outubro. Com isso, o presidente do evento decidiu que Yoel Romero seria o próximo desafiante ao cinturão do inglês, e aparentemente traçou planos para GSP em sua categoria de origem.

- Eu disse a GSP que, obviamente, não valia à pena conversarmos até termos uma visão mais clara do que teremos pela frente. Ele precisa decidir o que ele quer fazer na divisão dos pesos-meio-médios, quem ele quer enfrentar lá. Não sei se ele pretende subir de peso e encarar os assassinos do peso-médio. Acho que ele gostou da luta contra Michael Bisping, talvez por achá-la vencível, por ver em Bisping um adversário que era possível de derrotar.

Primeira Edição © 2011