Fiscais do IMA/AL autuam estabelecimentos com diversas irregularidades

Avícola em Santa Luzia do Norte, que tinham cinco denúncias, foi autuada e embargada

12/05/2017 17:40

A- A+

Assessoria de Comunicação IMA

compartilhar:

A equipe de fiscalização do IMA/AL esteve em campo realizando atendimento de denúncias e flagrou diversas irregularidades, nessa quinta-feira (11). Duas equipes se dividiram entre as regiões de Coqueiro Seco, Santa Luzia do Norte e Pilar e uma outra esteve no município de Matriz de Camaragibe.

A primeira equipe realizou o atendimento de uma denúncia referente à extração mineral (areia) numa região entre os municípios de Santa Luzia do Norte e Coqueiro Seco. O responsável foi autuado e recebeu multa no valor de R$29 mil reais. A atividade também foi embargada pelo IMA/AL. Essa prática ilegal é considerada grave, por causar sérios danos ao meio ambiente.

Ainda em Santa Luzia do Norte os fiscais do IMA atenderam à cinco denúncias, dessa vez, referente à uma avícola. O estabelecimento foi autuado e embargado pela realização da ampliação sem licença, modificando o projeto original de maneira irregular. A mesma avícola ainda foi autuada pelo despejo dos resíduos sem tratamento em uma fossa, além de receber uma intimação solicitando a apresentação do certificado de destinação final das lâmpadas, latas de tíner, latas de tinta e latas de óleo lubrificante.

No município de Pilar os fiscais verificaram mais denúncias. Foram apreendidos cinco pássaros: uma graúna, um sangue-de-boi, dois sabiás e um sanhaço. Um filhote de jibóia também foi recolhido no mesmo município. A proprietária da residência onde o réptil foi capturado conta que ele apareceu em sua casa e solicitou o recolhimento do mesmo.

Os animais capturados foram levados para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (CETAS) do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA).

A equipe que partiu para a região norte do Estado identificou uma extração de areia no município de Matriz de Camaragibe, no rio Camaragibe. Com a chegada dos fiscais do IMA os funcionários da draga evadiram no local e com isso não foi possível identificar o proprietário. A equipe de fiscalização continuará investigando para identificar e autuar os responsáveis pela extração do mineral. 

Primeira Edição © 2011