Ceni se justifica e lembra de eliminações recentes

12/05/2017 08:19

A- A+

Gazeta Esportiva

compartilhar:

As três eliminações consecutivas do São Paulo não fugiram à normalidade, de acordo com o técnico Rogério Ceni. Após o fracasso contra o Defensa y Justicia-ARG, pela Copa Sul-Americana, o treinador tricolor justificou os revezes pelo insucesso recente da equipe nas competições.

“Saímos na semifinal do Campeonato Paulista, como acontece há 10 anos. Na Copa do Brasil, não conseguimos vencer, como não conseguimos ao longo de toda a história. Hoje, saímos precocemente, assim como Cruzeiro saiu ontem. O Palmeiras foi eliminado no Paulista, o Cruzeiro foi eliminado, mas tem equipes para ser campeões brasileiros”, disse.

“Fomos eliminados em três competições. Quando se têm fases decisivas em fase sequencial, você está sujeito a isso. Um passa, o outro fica. Conseguimos vencer o Cruzeiro fora de casa (pela Copa do Brasil), mas o gol qualificado acabou eliminando a gente. Você vê duelos bem desequilibrados, enquanto tivemos um confronto com uma equipe do nosso tamanho. Na semifinal do Paulista, um primeiro tempo mal feito, três de igual para igual com o Corinthians, e saímos da competição. Quando um trabalho é bem feito, as pessoas sabem da sua dedicação, tem que ser reconhecido pelo seu trabalho diário”, completou o treinador.

O São Paulo teve 17 dias de treinos após as duas eliminações em sequência, na Copa do Brasil e no Campeonato Paulista. Em campo, porém, o Tricolor mostrou um futebol abaixo da crítica, foi pressionado pelo Defensa y Justicia e acabou eliminado pela equipe que fazia sua primeira partida de sua história fora da Argentina por competições oficiais.

“Não acho que foi vexame, mas quem quer que fosse o adversário, a gente vem aqui sempre para vencer jogos. De 12 partidas aqui, perdemos duas. Não perdemos, mas não conseguimos a classificação. O adversário é um time bem armado taticamente. Já tinha visto, revisto. Conseguimos sair na frente, mas em uma desatenção, com a linha totalmente posicionada, Lucão, Rodrigo Caio e Junior Tavares, com Bruno pressionando quem cruzou… A bola sem querer sobra para o jogador vindo de trás e ele acertou um belo chute”, disse.

“Não tenho nada para reclamar dos meus jogadores, não. São extremamente dedicados, trabalham firme todos os dias. Entendem o que a gente quer, jogam com dedicação. Fazemos o máximo pelas vitórias. Infelizmente, batemos na trave, na semifinal do Paulista. Contra o Cruzeiro, faltou um gol, e na Sul-Americana empatamos os dois jogos contra um time que vem crescendo no Campeonato Argentino. Nos últimos seis jogos eles tiveram boas vitórias. Fizeram um bom jogo contra o Boca na Bombonera e perderam por pouco”, finalizou o treinador tricolor.

Primeira Edição © 2011