STJ autoriza inquérito para investigar se o deputado Zeca Dirceu recebeu R$ 250 mil de propina da Odebrecht

13/04/2017 13:52

A- A+

G1

compartilhar:

O ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou inquérito para investigar se o deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR), filho do ex-ministro José Dirceu, recebeu R$ 250 mil do "departamento de propinas" da Odebrecht para campanhas eleitorais de 2010 e 2014.

O pagamento foi citado por Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos Reis, ex-presidente da Odebrecht Ambiental, na série de delações de ex-executivos acordada entre a empreiteira e o Ministério Público Federal (MPF).

O pedido dos repasses, de acordo com o delator, foi feito por José Dirceu. Conforme a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR), "a extensão da participação dos envolvidos nos fatos somente poderá ser aferida após concluída a investigação".

O que diz Zeca Dirceu

O deputado federal Zeca Dirceu afirma que "não há e nunca houve qualquer tipo de tratativa do parlamentar junto às diretorias da Petrobras e/ou às empresas investigadas na Lava Jato".

Também diz que nunca houve qualquer pedido do parlamentar a envolvidos na Lava Jato, fato já testemunhado por vários outros delatores e agora comprovado pelo próprio delator Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos Reis.

O deputado também ressalta que todas as doações recebidas nas campanhas de 2010 e de 2014 foram legais, declaradas e aprovadas pela Justiça Eleitoral sem ressalvas.

Primeira Edição © 2011