Casas com acessibilidade são obrigatórias no programa Minha Casa, Minha Vida

18/03/2017 11:15

A- A+

Agência Alagoas

compartilhar:

O sonho da casa própria já se tornou realidade para quase 24 mil alagoanos, desde 2015. Nesse universo, idosos e pessoas com deficiência têm prioridade, de acordo com as regras do programa Minha Casa, Minha Vida. Segundo determinação do Ministério das Cidades, no mínimo, 3% das habitações têm que ser construídas respeitando as normas de acessibilidade estabelecidas para os empreendimentos.

Portas mais largas, banheiros mais amplos, espaços que dê condições de maior mobilidade e casas de esquina. Essas são algumas das características das residências voltadas para as pessoas com deficiência física beneficiadas com unidades habitacionais do Minha Casa, Minha Vida.

Adriano dos Santos foi um dos beneficiários do conjunto Jarbas Oiticica, localizado no município de Rio Largo. Em 2011, ele sofreu uma lesão na medula enquanto trabalhava como cobrador de ônibus. De lá pra cá, sua vida mudou totalmente.

“Certo dia, quando fui descer do ônibus, senti uma dor forte nas costas. Fui ao Pronto Socorro, na época, fui medicado e recebi um atestado. Após os dias de atestado, voltei a trabalhar, mas, em pouco tempo, já caía quando descia do ônibus. Minhas pernas estavam fracas”, contou Adriano.

Adriano dos Santos foi diagnosticado com uma síndrome de nascença, que desencadeou com a lesão. “O médico disse que eu perderia também o movimento dos braços e que iria atacar minha respiração. Mas, depois de uma cirurgia, ainda com dificuldades, consegui voltar a movimentar os braços”, relatou.

Embora diante da dificuldade de locomoção, Adriano dos Santos conta sua história sempre com um sorriso no rosto, ao lado de sua esposa, Adriana dos Santos. “Ele está sempre sorrindo; é uma pessoa de bem com a vida e alegre. Somos muito felizes aqui na nossa casa”, contou Adriana.

Há um ano, por meio de uma ligação da equipe da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinfra), Adriano recebeu a notícia de que era um dos beneficiários do residencial Jarbas Oiticica. “Depois que recebi a ligação, passei a juntar cada moedinha que sobrava, já pensando nas melhorias que iria fazer quando recebesse minha casa”, relatou.

Finalmente, chegou o dia de Adriano e sua esposa receberem a chave de sua casa própria. “Foi o dia mais feliz da minha vida. Pagava R$ 400,00 de aluguel e, hoje, com R$ 63,00 pago minha casa própria. Consegui fazer um ‘puxadinho’ no terreno, minha casa ficou ampla, consigo andar com a cadeira de rodas sem nenhuma dificuldade. Foi uma bênção em minha vida! Desde que vim morar nessa casa só coisas boas me aconteceram. Sou muito feliz e grato”, finalizou o beneficiário.

Primeira Edição © 2011