Modernização da legislação trabalhista

Por que aumentar o prazo dos contratos de trabalho temporário ajuda a economia?

23/02/2017 19:27

A- A+

GT Marketing e Comunicação

compartilhar:

A Câmara dos Deputados instaurou uma Comissão Especial para analisar o Projeto de Lei 6.787/2016, que contém propostas de modernização da legislação trabalhista. O texto deve ser concluído no mês de maio deste ano e, se aprovado, prolonga o prazo dos contratos de temporário para até oito meses (120 dias prorrogáveis por mais 120 dias). Hoje o tempo máximo permitido é de até nove meses, porém com algumas restrições aplicadas pela Portaria do Ministério do Trabalho nº. 789/2014.

          O trabalho temporário é utilizado para substituição de mão de obra efetiva e permanente (licença médica, licença maternidade) ou acréscimo extraordinário de serviços (datas comemorativas como Páscoa, Dia das Mães e Natal). Em períodos de instabilidade econômica, explica Vander Morales, presidente da Federação Nacional dos Sindicatos das Empresas de Recursos Humanos, Trabalho Temporário e Terceirizado (Fenaserhtt), o trabalho temporário serve como base de sustentação para o negócio ao mesmo tempo em que gera empregos formais.  

          Por que o Brasil deve permitir a ampliação do período de permanência dos temporários nas empresas contratantes?

·       1. O trabalho temporário é utilizado em picos sazonais de produção e/ou movimentação comercial, por isso adaptável às necessidades da empresa contratante;

·       2. Ampliar o prazo do contrato reduz a burocracia;

·       3. Licença-maternidade, por exemplo, pode chegar a 180 dias. O aumento do contrato temporário supre a ausência da funcionária efetiva sem burocracia;

·       4. A indústria seria beneficiada contratando temporários no início da produção, que para o Natal e Páscoa, por exemplo, são bem antecipadas;

·       5. Empresas teriam melhor aproveitamento do treinamento dispensado aos temporários;

  6. Em tempos de crise, algumas empresas optam por contratar de modo informal para depois efetivar o funcionário. O trabalho temporário permite que a contratação seja formal desde o começo, sem prejuízos para a empresa ou trabalhador.

 

SOBRE A FENASERHTT | A FENASERHTT - Federação Nacional dos Sindicatos de Empresas de Recursos Humanos, Trabalho Temporário e Terceirizado - foi fundada em 15 de outubro de 2004 e é composta atualmente por cinco sindicatos patronais: São Paulo, Santa Catarina, Espírito Santo, Bahia, Minas Gerais, Paraná e Amazonas. Representa 32 mil empresas do setor, que empregam cerca de 2,5 milhões de pessoas.

 

SOBRE O SINDEPRESTEM | Fundado em  4 de junho de 1991, o SINDEPRESTEM - Sindicato das Empresas de Prestação de Serviços a Terceiros, Colocação e Administração de Mão-de-Obra e de Trabalho Temporário no Estado de São Paulo representa as empresas de Trabalho Temporário e de Terceirização de Serviços no Estado de São Paulo. Dentre as categorias representadas por este sindicato patronal estão bombeiro civil, logística, leitura e entrega de documentos, controle de acesso, promoção e merchandising, serviços a bancos, serviços auxiliares, consultoria de recursos humanos e estágios.

Primeira Edição © 2011