AL é Estado que mais cresce no segmento do turismo no NE

Crise econômica atingiu diretamente a região; apenas Alagoas e Pernambuco não sofreram retração

30/11/2016 12:31

A- A+

Morena Melo - Agência Alagoas

compartilhar:

O ano de 2016 foi marcado pela retração econômica, o que impactou diretamente o turismo nacional, diminuindo a chegada de visitantes a diversas regiões de todo o Brasil. No Nordeste não foi diferente, segundo dados da Infraero, Estados como Bahia e Ceará registraram retrações de -18,19% e -10,31% respectivamente.

Mesmo diante do cenário desfavorável, Alagoas se destacou apresentando um aumento do número de passageiros que desembarcaram no Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares. Até o mês de setembro, o Estado teve um aumento de 1,77%, no acumulado do ano, quando comparado ao mesmo período de 2015, sendo o Estado nordestino que mais cresceu, ficando a frente de Pernambuco, que apresentou uma elevação de 0,98%.  Apenas os dois Estados apresentaram números positivos.

Para o economista e consultor empresarial Lucas Sorgato, a chegada de mais turistas é um fator relevante e que movimenta diretamente a economia de Alagoas, estimulando a instalação de novos empreendimentos e incentivando o comércio através dos serviços ligados ao segmento. 

"Alagoas tem apresentado números acima da média nacional. Essa crescente movimentação é fundamental para que a economia se desenvolva, seja melhor estruturando a rede hoteleira, seja pelo desenvolvimento de serviços ligados ao turismo. Gastronomia, passeios, comércio. Tudo isso é ampliado graças ao aumento de visitantes, fato que consolida Alagoas como um dos destinos mais procurados do Brasil", afirmou Sorgato.

Hotelaria

Um dos segmentos mais impactados por esses resultados é a hotelaria, que tem recebido, consequentemente, mais hóspedes. Segundo o proprietário do Hotel Ritz Lagoa da Anta, Pietro Coelho, a ocupação hoteleira tem crescido nos últimos meses permitido maiores investimentos no setor.

"Muito do crescimento do turismo e da hotelaria de Alagoas se deve à união entre setor público e privado, cujo objetivo é atrair cada vez mais turistas. Atualmente, temos mais de 10 voos fretados para a alta temporada; temos também voos internacionais, o que não tínhamos há 10 anos. Se continuarmos neste ritmo, a previsão é de que 90% dos leitos sejam ocupados em abril. Posso afirmar que a hotelaria alagoana está bastante satisfeita.", comemorou Coelho.

Para o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Helder Lima, os resultados se devem às estratégias adotadas pela pasta. "Desde o trabalho realizado com os incentivos fiscais para garantir mais voos e consequentemente mais desembarques, até o trabalho de promoção do destino nos principais mercados emissores utilizando as mídias tradicionais e trabalhando massivamente nas mídias digitais. Este é um exemplo da Alagoas que dá certo e que vai continuar crescendo em 2017", comemora o gestor.

Ainda segundo o secretário, atualmente Alagoas possui 19 hotéis em construção, que devem gerar 1.100 empregos diretos em 2017.

 

Primeira Edição © 2011