Campanha ADOTE UM PET COM DEFICIÊNCIA conta histórias de quem já adotou e é melhor amigo de um pet com deficiência

Para realizar a campanha ADOTE UM PET COM DEFICIÊNCIA, que vai ter seu primeiro evento no dia 30 de agosto, a Uhelp.com reuniu casos de pessoas que adotaram pets com deficiência e que contam um pouco dessa relação de amor.

20/08/2015 07:28

A- A+

Divulgação

compartilhar:

Ao começar a conhecer histórias de pessoas que adotaram pets com deficiência, conhecendo um pouco mais esse universo e reunindo informações para realizar a campanha ADOTE UM PET COM DEFICIÊNCIA, a Uhelp.com não viu outra forma de mostrar o quanto a doação é um ato de amor a não ser contando essas histórias. Conheça um pouco de cada uma delas:

Giuliana Stefanini é gerente da Luiz Proteção e adotou o Frederico há pouco mais de um ano. Para ela, cuidar do cãozinho da raça dachshund já é natural: “é como escovar os dentes”, revela. Ela revela que foi a melhor coisa que já fez na vida: “o Fred é um anjo!”. O pet tem deficiência física e precisa usar andador nas patas traseiras, mas nem por isso deixa de fazer estripulias e encher a dona de orgulho. Giuliana enfatiza que é muito importante divulgar a causa dos pets com deficiência, porque é muito difícil alguém adotá-los. “Infelizmente, eles ficam esquecidos, pois as pessoas têm preconceito”, declara.

Sharon Reibscheid, veterinária que há 24 anos cuida de animais, além de atender pets com deficiência, tem dois deles em sua clínica: “adotar um animal com deficiência é incrivelmente recompensador: eles vivem super bem, se adequam rapidamente à sua nova condição e nos ensinam a sermos seres humanos melhores”. Ela conta que Vicky ficou cega devido ao Diabetes e Hope precisou ser amputada devido a um tumor ósseo: “as duas vivem muito bem e são a alegria da clínica”, revela Sharon.

Sabrina Custódia é paratleta e faz parte, com Adriele Silva e Vinícius Rodrigues, do time Ultrability apoiado pela Uhelp.com, que tem como objetivo captar recursos que serão destinados à manutenção das próteses utilizadas pelos paratletas, que estão treinando pesado para tentar uma vaga na equipe paralímpica brasileira. Ela acolheu, há 3 meses, o Junior, um buldogue inglês que foi rejeitado para venda por ter lábio leporino. Sabrina explica que apesar de ser apenas um problema estético e não de saúde, ele não pôde tirar pedigree, por isso, sua venda seria muito difícil. Para Sabrina, o fato dele ser um cão considerado fora do padrão não interferiu em nada na escolha: “foi amor à primeira vista”, ela enfatiza.

A própria Livia Clozel, Comunicação e Estratégia da Uhelp.com, é um desses casos. Livia adotou a pequena Amora há cerca de 3 anos: “ela é amputada e sofreu maus tratos, demorou a se sentir segura, mas hoje é uma companheira incrível”, enfatiza.

Na campanha ADOTE UM PET COM DEFICIÊNCIA, na qual a Uhelp.comestá unindo nomes importantes do universo de defesa animal em prol da adoção de cães e gatos portadores de alguma deficiência. O evento terá duas edições na cidade de São Paulo, uma agora, no dia 30 de agosto, e outra em 20 de setembro. Saiba mais abaixo:

 Campanha ADOTE UM PET COM DEFICIÊNCIA

Uhelp.comAssociação Assistencial é uma Associação Civil, sem fins lucrativos. Com a finalidade de realizar a campanha ADOTE UM PET COM DEFICIÊNCIA, é a responsável por unir nomes como Ampara Animal, Luiz Proteção Animal, Praça Velorama e Dog Zone Villalobos/Portinari. O objetivo do evento é incentivar a adoção e promover a conscientização de que um animal com deficiência é um pet como todos os outros, pois apesar de suas limitações, a capacidade de superação que eles têm é infinitamente superior. E cá entre nós, participar desse processo e conviver diariamente com cada progresso é uma experiência única e extremamente gratificante.

A Campanha tem a hashtag #especialmentediferente, criada pela Ampara Animal, e contará com duas edições da feira de adoção, em pontos distintos da capital paulista. A primeira acontece no dia 30 de agosto, na Praça Velorama, na Rua Groenlândia, 848. No dia 20 de setembro, é a vez do Dog Zone nos parques Villalobos e Portinari, na zona Oeste de São Paulo. Já estão confirmadas, até o momento, as participações da Ampara Animal e da Luiz Proteção Animal, ambas com trabalhos voltados para adoção – e que incluem pets com deficiência.

Juliana Camargo, presidente da Ampara Animal explica que "são considerados pets com deficiência os que apresentam problemas motores, mentais, renais, idosos, amputados, cegos e os de cor preta, uma vez que têm menor índice de adoção”. Para Livia Clozel, Comunicação e Estratégia da Uhelp.com, “um pet com deficiência tem uma vida normal: muitos deles não precisam sequer de acompanhamento médico por conta da deficiência, e todos são grandes companhias! Sem contar que, na verdade, o preconceito é que é uma deficiência!"

Adote um Pet com Deficiência – 1edição

Data: 30 de agosto

Local: Praça Velorama | Rua Groenlândia, 848 | Jardim América

Horário: 9h às 18h

Adote um Pet com Deficiência – 2edição

Data: 20 de setembro

Local: Dog Zone Villalobos/Portinari | Avenida Professor Fonseca Rodrigues, 2001 | Alto de Pinheiros

Horário: 9h às 18h

Primeira Edição © 2011