Clemilda e Gerson Filho são homenageados no São João de Maceió

20/06/2015 08:00

A- A+

Ascom/FMAC

compartilhar:

O forró cheiroso de Clemilda e Gerson Filho toma conta do salão no São João de Maceió. Os dois artistas alagoanos são os homenageados nos festejos juninos que, em 2015, trazem o tema ‘São João dos 200 anos, lembrando Clemilda e Gerson Filho’, numa justa referência aos dois ícones do forró alagoano que se destacaram nacionalmente e conquistaram o Brasil.

O presidente da Fundação Municipal de Ação Cultural (Fmac), Vinicius Palmeira, explica que a homenagem a Clemilda e Gerson Filho foi decidida juntamente com a Associação dos Forrozeiros de Alagoas e destaca a importância dos dois artistas para o desenvolvimento da cultura regional. “Clemilda e Gerson são ícones da música nordestina que fizeram sucesso no Brasil inteiro, cantando e tocando as referências culturais da nossa gente”, afirma.
 

Natural do município alagoano de Palmeira dos Índios, de onde saiu ainda adolescente para tentar a sorte no Rio de Janeiro, Clemilda viveu mais de 20 anos em Aracaju. Mas foi na cidade maravilhosa que descobriu seu dom artístico e cantou pela primeira vez, em 1965, na Rádio Mayrink Veiga no programa Crepúsculo Sertanejo. Foi nessa mesma ocasião que conheceu Gerson Filho, alagoano como ela, que foi responsável pela popularização do fole de oito baixos e, na época, já era artista com disco gravado.

A história de amor entre os dois nascia ali mesmo e com ela, uma parceria musical que rendeu participações de Clemilda em dois LPs do marido Gerson Filho. Em 1967, a cantora começou a gravar seus próprios discos. Sempre acompanhada de Gerson Filho, estourou nas paradas de sucesso com a música “Prenda o Tadeu”, em 1985, e ganhou seu primeiro Disco de Ouro. Em 1987, com o disco “Forró Cheiroso”, mais conhecido como “Talco no Salão”, ganhou seu segundo Disco de Ouro. A composição de seus trabalhos caracteriza-se principalmente pelo sentido duplo das letras, em traduções maliciosas de cenas do cotidiano.

E se Gerson Filho foi parceiro fiel de Clemilda até a morte, em 1994, dividiu também com ela o estrelato, reinando absoluto como o “Rei dos 8 Baixos”. O alagoano também saiu cedo da sua terra natal, a ribeirinha Penedo, em busca de oportunidades no Rio de Janeiro. Autodidata, Gerson Filho descobriu o amor pela sanfona de oito baixos ainda menino e aos 12 anos, já tinha sua primeira composição. Por toda a vida foram mais de 30 discos gravados.

Primeira Edição © 2011