Cidades alagoanas serão cenário de filme sobre Velho Chico

Cineastas vão mostrar como o rio influencia a vida das populações ribeirinhas de cinco estados

06/05/2014 06:06

A- A+

Divulgação

compartilhar:

Alagoas será cenário, mais uma vez, de uma produção cinematográfica nacional. Três cidades alagoanas banhadas pelo rio São Francisco serão retratadas no filme-documentário “Cinco vezes Chico – o velho e sua gente”, que vai mostrar como o Velho Chico influencia a vida de milhares de brasileiros ao longo dos cinco estados que banha. Além de Alagoas, o filme vai mostrar comunidades ribeirinhas nos estados de Minas Gerais, Bahia, Pernambuco e Sergipe.

“O Rio São Francisco, que banha cinco estados brasileiros, propicia e define a vida de cerca de 13 milhões de pessoas e tem importância econômica, social e, sobretudo, cultural para o país merece não apenas um, mas vários olhares dedicados a ele. “Cinco vezes Chico” nasce do desejo de preservar a memória sobre este importante rio e sua gente através de diferentes, e por que não dizer, complementares, olhares sobre este verdadeiro fato cultural que é o Velho Chico”, diz o texto fornecido pela produtora 3 Tabelas, responsável pelas filmagens.

O foco principal do filme são as pessoas que tem suas vidas marcadas pelo rio São Francisco – a influência que o Velho Chico traz nos costumes, nas crenças, nas comidas, nos sotaques, nas faces, nas cantigas, nas lendas, no ritmo das embarcações. Para isso, cinco cineastas foram convidados a percorrer o rio e jogar um olhar próprio em cada região. O trecho de Alagoas será dirigido por Eduardo Nunes, que visitará as cidades de Piranhas, Penedo e Piaçabuçu.

Cada trecho de rio vai ganhar ainda uma espécie de prólogo – uma digressão poético-audiovisual que antecede cada novo filme. Em “Cinco vezes Chico”, os prólogos poéticos usarão textos, canções, poemas que fazem referência ao rio. Em Alagoas, o prólogo será um texto do mineiro de Guimarães Rosa, que diz: "Quando escrevo, repito o que já vivi antes. E para estas duas vidas, um léxico só não é suficiente. Em outras palavras, gostaria de ser um crocodilo vivendo no rio São Francisco. Gostaria de ser um crocodilo porque amo os grandes rios”. As tratativas para a produção do filme em Alagoas já estão sendo feitas entra a produtora e as prefeituras dos municípios, com o apoio da Secretaria de Estado do Turismo.

galeria de fotos seta

Primeira Edição © 2011