Rádio Primeira Edição - Ouça agora!

notícias > Polícia setas

Caso Guilherme Brandão: Perícia diz que cena do crime foi modificada

Contradições no depoimento com os levantamentos preliminares levantaram a suspeita contra o acusado Marcelo Carnaúba

06/03/2014 15:00

A- A+

Redação com assessoria

compartilhar:

A Perícia Oficial responsável na investigação do Caso do assassinato do empresário Guilherme Brandão, morto no último dia 26, divulgou uma nota na tarde desta quinta-feira (6) afirmando que a cena do local do crime foi alterada momentos antes da chegada dos peritos.

De acordo com as análises, três pontos foram decisivos para esta reviravolta no caso que chocou os alagoanos. O primeiro ponto foi a distância em que o tiro foi disparado até chegar a vítima. Marcelo Carnaúba afirmou em depoimento, que foi a queima rouba, sendo assim, em curta distância. Entretanto, após exame, os peritos revelaram que o tiro foi realizado a média distância.

Um outro ponto que se contradisse no depoimento do suspeito foi a respeito da posição dos supostos assaltantes. Durante os exames realizados pelos peritos no local, percebeu-se que esse testemunho continha várias contradições, entre elas a posição exata no momento em que a vítima recebeu o tiro, e a constatação que a posição em que o cadáver foi encontrado havia sido alterada.

Logo após o assassinato e tentando desviar o foco das investigações, o acusado relatou características para a construção de um retrato falado dos dois supostos assaltantes Na época, dois jovens foram presos armados com um revolver, mas após exame residuográfico que também deu negativo, aumentaram ainda mais as suspeitas contra o testemunho de Marcelo.

Exame de balística e papiloscópico

Durante o exame no local do crime, os peritos ainda encontraram um projétil calibre 38 e várias digitais. Todo esse material será utilizado para exames complementares. As impressões papiloscópicas estão sendo analisadas no Instituto de Identificação.

As previsões de entrega dos laudos criminais, incluindo os exames de laboratórios são de 10 dias úteis, podendo este prazo ser prorrogado de acordo com a demanda. Após as conclusões, todos serão encaminhados para a Delegacia responsável pela conclusão do inquérito policial, e todo este material será utilizado pelo Ministério Público para apresentar acusação oficial contra o preso Marcelo Carnaúba.

* campos obrigatórios

  • Enviar »

@primeiraedicao seta

anterior proximo
  • João Julio da Silva

    Presas se sentem mais livres para serem gays na prisão http://t.co/EbagfsTjj9 via @primeiraedicao

  • João Julio da Silva

    Organizador de rolezinho é morto na zona leste de São Paulo http://t.co/Dtbw0UvtWs via @primeiraedicao

  • João Julio da Silva

    Jogadores fazem 1º treino em novo estádio http://t.co/XBKJiCuHCG via @primeiraedicao

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Primeira Edição © 2011

Plus! Agência Digital