Arrependida, mulher que jogou água fervendo em cachorro quer adotá-lo

06/09/2013 08:25

A- A+

G1

compartilhar:

A mulher que há uma semana jogou água quente em um cachorro para espantá-lo de frente de casa, em São José do Rio Pardo (SP), afirmou estar arrependida pelo que fez e quer adotá-lo. “Eu quero muito ficar com ele porque feri os meus princípios, não sou uma pessoa má”, disse a dona de casa ao G1 nessa quinta-feira (5).

A Polícia Ambiental fez uma visita ao cão no fim de semana para avaliar as condições dele. O resultado do laudo feito por um veterinário nesta semana será anexado ao processo contra a dona de casa que cometeu a agressão. Ela deve responder por maus-tratos e abuso contra animais, além de pagar uma multa que pode chegar a R$ 3 mil.

A mulher, que prefere não se identificar, reviu o cão chamado Valente e disse que ficou muito triste com a situação que provocou na última quarta-feira (29). “Senti-me mal por ter feito aquilo. Estou muito envergonhada. O que eu fiz foi muito desumano e nada justifica. Quero ajudar no que for preciso e, se for possível, trazê-lo para casa para cuidar dele”, afirmou.

Valente teve queimaduras de terceiro grau. Ele é tratado atualmente pelo comerciante Matheus Mafepi, que é dono de uma loja de pet shop e atua na ONG União Protetora dos Animais Riopardense (Unir).

Segundo ele, o animal ainda sente dor, está com uma perna inchada e parte da pele atingida pela água quente se desprendeu do couro. “Vou solicitar ao veterinário que venha vê-lo nesta sexta-feira (6). Ele ainda está um pouco acuado e assustado. Hoje fui lavar o canil e ao me ver jogar a água com o balde ele correu e se escondeu embaixo do sofá”, relatou Mafepi.

Ajuda

O comerciante disse que se surpreendeu com a visita da mulher que agrediu o cão. “Ela me procurou, pediu perdão e afirmou que vai ajudar com os gastos. Percebe-se nitidamente que ela está arrependida e quer colaborar de alguma forma”, contou.

Apesar do interesse, Mafepi disse que é contra a posição dela de adotar o animal. “Ela quer tapar a cicatriz para se redimir, mas eu não gostaria de entregar o cão em virtude do que aconteceu. Deixo as portas abertas para ela visitar quando quiser, mas entregá-lo vai contra meus princípios”, afirmou.

Foto: Matheus Mafepi/Arquivo pessoal)

O cachorro, que foi abandonado por uma família no bairro Vila Formosa, estará disponível para adoção tão logo se recupere dos ferimentos. Quem estiver interessado, pode entrar em contato com Mafepi no telefone (19) 99427-8690 ou procurá-lo na loja em que trabalha na cidade em horário comercial.

Justificativa

A dona de casa que jogou água quente no animal mora há um ano no bairro. Na ocasião, ela disse ao G1 que cometeu a agressão porque desde que se mudou, cerca de cinco cães ficavam diariamente na calçada em frente à casa dela e causavam transtornos devido à sujeira de fezes e urina.

“Eu pintei o portão em março e já está todo enferrujado de tanto xixi. Todo mundo comete um erro quando é pressionado. Eu tenho uma cachorrinha vira-lata e nunca tratei mal. Para eu ter chegado a esse ponto é porque a situação já estava insuportável, foi um momento de raiva. Joguei a água para espantá-lo, mas me arrependo do que fiz”, garantiu.

A mulher relatou ainda que gatos entram frequentemente na casa dela e, por isso, o carro dela está todo arranhado. Ela afirmou também que chegou a pensar em buscar auxílio na Prefeitura, porque a situação estava insuportável. “Eu encontrei um conhecido que trabalha lá, expliquei a situação e perguntei o que fazer. Tinha até pedido o telefone da Zoonoses, mas na hora da raiva não consegui me conter”, relatou.

Primeira Edição © 2011