Mais de 31 milhões de norte-americanos já votaram

06/11/2012 05:34

A- A+

DN Globo

compartilhar:

Mais de 31 milhões de eleitores norte-americanos registados votaram por antecipação até à véspera das eleições presidenciais de hoje num total de 34 Estados e no distrito de Columbia, segundo dados da Universidade George Mason.

Em Estados considerados decisivos como a Florida, em que as sondagens dão ligeira vantagem ao candidato republicano Mitt Romney, votaram cerca de 4,5 milhões de pessoas, 43 por cento registadas como democratas e 39 por cento como republicanas.

Em Ohio, outro Estado que concentra as atenções de hoje, votaram já cerca de 1,7 milhões de pessoas das 7,9 milhões registadas, com uma ligeira maioria de eleitores democratas, 29 por cento, face a 23 por cento de republicanos.

No Colorado, a participação na votação antecipada também rondou os 1,7 milhões de pessoas, enquanto na Carolina do Norte superou os 2,7 milhões, segundo os dados das respetivas secretarias de Estado citadas pela imprensa local.

Barack Obama votou a 25 de outubro numa assembleia de voto de Chicago e a primeira-dama, Michelle Obama, votou por correio.

A contagem dos votos apenas será feita na noite de hoje, mas os dados da participação e as primeiras sondagens serão revelados logo que encerrem as assembleias de voto na costa leste dos Estados Unidos.

Depois de meses de campanha e de milhões de dólares gastos na corrida à liderança da principal potência mundial, os dois candidatos concentraram na segunda-feira as atenções no Estado do Ohio, que decidiu o vencedor nas últimas 12 presidenciais norte-americanas.

Nenhum republicano que chegou à Casa Branca o conseguiu sem o apoio de Ohio, Estado onde as sondagens atribuem uma ligeira vantagem a Obama.

O Presidente dos EUA terminou esta noite a sua campanha no Iowa, partindo depois para Chicago para saber se será reeleito, enquanto Romney regressa ainda esta terça-feira ao Ohio e à Pensilvânia, Estado que tem sido visto como forte apoiante de Obama, antes de partir para Boston para aguardar os resultados.

Este plano de Romney tem sido encarado como uma tentativa de compensar uma possível vitória de Obama no Ohio.

São nove os Estados críticos para um dos candidatos conseguir garantir pelo menos os 270 votos eleitorais necessários para ser eleito Presidente dos EUA e Obama parece liderar aí com uma ligeira vantagem.
Segundo o sistema norte-americano, o vencedor das presidenciais não é determinado pelo voto popular, mas pelas eleições Estado a Estado. O candidato que vencer um Estado -- com a exceção do Maine e Nebraska -- garante todos os votos eleitorais desse Estado, que são repartidos com base na representação no Congresso.

Se Romney for eleito, será o primeiro Presidente dos EUA mórmon.

A sondagem da NBC/Wall Street Journal, divulgada no domingo e com uma margem de erro de 2,55 pontos percentuais, prevê que Obama conte com um apoio de 48 por cento dos eleitores e Romney de 47 por cento.

Outra sondagem do Pew Research Center, com margem de erro de 2,2 pontos percentuais, atribui a Obama três pontos de vantagem face a Romney, de 48 por cento, o que poderá ser uma resposta à forma como o Presidente dos EUA geriu a crise causada pelo furacão Sandy, tendo cancelado três dias de campanha para acompanhar a situação na costa leste.

Já a sondagem do Washington Post/ABC atribui a Obama um apoio de 50 por cento e a Romney de 47 por cento.

Primeira Edição © 2011