Prova de redação é a mais temida por candidatos do Enem

04/11/2012 09:04

A- A+

R7

compartilhar:

Ansiosa para a prova mais temida, a de redação, a candidata ao curso de odontologia na UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), Arlete Rosimare, de 40 anos, chegou à Escola Estadual Central, no centro de Belo Horizonte, com três horas de antecedência. Apesar do cansaço, ela aposta nos treinos de redação feitos durante o ano.

— No ano passado, minha redação não deu. O problema do Enem são os textos enormes e um tempo curto. É humanamente impossível. Ontem errei duas que eu sabia, e, no final, chutei várias. Não tive nem coragem de olhar o gabarito.

Bárbara Cristina, de 18 anos, que concorre a uma vaga no curso de engenharia da computação no Cefet-MG (Centro Federal de Educação Tecnológica), também tem medo da prova de redação. A jovem saiu de casa bem cedo, em Vespasiano, na região metropolitana de BH, e, duas horas antes da prova, já especulava com outros candidatos sobre o possível tema do texto.

— Ontem, eu acho que fui bem. O problema mesmo é a redação. A gente não sabe o tema, e nem como vai ser a correção.

O MEC (Ministério da Educação) divulgou, em julho deste ano, o manual de redação do Enem, de 48 páginas, com detalhes das competências avaliadas na prova. Em maio, o governo federal já havia alterado a forma de correção da prova. Agora, a discrepância máxima entre as notas dadas pelos dois corretores será de 200 pontos. Quando esse limite for ultrapassado, uma terceira pessoa analisará a prova. O Inep informou que os gabaritos da prova devem ser divulgados no dia 7 de novembro, e a previsão é que o resultado final do Enem saia no dia 28 de dezembro.

Candidatos dizem que segundo dia do Enem será "imprevisível"

Segundo dia

Os candidatos terão cinco horas e meia — uma hora a mais que sábado (3) — para responder a 90 questões de múltipla escolha e escrever uma redação.

Neste segundo dia, os alunos serão testados nas áreas de linguagens, códigos e suas tecnologias — língua portuguesa, literatura, língua estrangeira (inglês ou espanhol), artes, física, tecnologias da informação e comunicação —, matemática e suas tecnologias e redação. O R7 trará, ao final do dia, a correção comentada da prova feita pelos professores do cursinho Oficina do Estudante.

O primeiro dia de provas do Enem ocorreu "dentro da normalidade", segundo o Inep. Entre a 00h01 até as 14h04 deste sábado, 168.623 inscritos entraram na página do instituto para confirmar o local de prova. O call center recebeu 4.825 chamadas, basicamente para confirmação de local da realização da prova.

Eliminados

Ao todo, 37 candidatos foram eliminados e retirados das salas de exame após postarem fotos dentro dos locais de prova. As redes sociais foram monitoradas pelo MEC (Ministério da Educação) durante a prova. Os casos foram registrados em vários Estados do País.

Segundo o órgão, foram registrados três casos isolados de queda temporária de energia. O problema teria sido resolvido sem qualquer prejuízo da realização das provas. Na UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), faltou luz enquanto os candidatos se preparavam para iniciar a prova.

Boato

Na manhã de sábado, surgiu, nas redes sociais, o boato de que o exame havia sido cancelado. O MEC desmentiu informação falsa, que acabou virando trending topic no Twitter.

De acordo com a assessoria do MEC, a Polícia Federal informou que identificou a origem do boato que "tem o objetivo de tumultuar a prova". O órgão negou que haja qualquer problema com o exame.

Mais de 5,7 milhões de estudantes brasileiros são esperados para fazer a prova. O Estado de São Paulo tem o maior número de inscritos, com 932,4 mil, seguido de Minas Gerais (653.074), da Bahia (421.731) e do Rio de Janeiro (408.902).

Primeira Edição © 2011