Entenda a importância da vacinação para cães e gatos

Especialista explicou a importância de manter em dia a vacinação de cães e gatos domésticos para evitar doenças nos PETs e nos humanos

08/10/2012 07:37

A- A+

Jessica Pacheco

compartilhar:

Assim como um bebê, que ao nascer tem que passar por uma sessão de vacinas de prevenção de doenças, os cães e gatos recém nascidos também tem que passar por essa bateria de imunizações. Não seguir essa regra a risca pode causar problemas sérios, tanto na saúde do animal, quanto na saúde dos humanos que o cercam.

Segundo a médica veterinária, Rafaela Pastl, sair à rua com um animal não imunizado é muito perigoso para a saúde do animal, pois qualquer vírus pode adentrar em seu organismo e deixá-lo doente.

“A importância da vacinação é proporcionar ao animal a imunização contra os principais vírus e ao sair com ele na rua sem essa imunização, com certeza, ele vai ser contaminado com algum vírus presente no ambiente, oriundo de animais doentes vadios ou mesmo domiciliados”, disse a Dra. Pastl.

Arquivo PEAssim que nascem, tanto os cães quanto os gatos, tem que receber uma bateria de vacinas com doses repetidas durante o decorrer da vida do animal. Entre as vacinas, segundo a veterinária, estão: para cães, múltiplas v8 ou v10 e tranquibronquite; e para os gatos, as múltiplas v3, v4 ou v5; e a vacina de raiva para ambos. “O importantes é manter o sistema imunológico protegido”, explicou Dra. Rafaela.

Apesar da eficiência comprovada, para veterinária, é bom ressaltar que a vacinação não garante 100% que o animal estará livre de doenças, pois a eficácia do medicamento depende, sobretudo, do estímulo imunológico do animal, entre outros fatores.

“Na verdade, nenhuma vacina garante 100% de imunização. A eficácia da vacinação está diretamente ligada ao estímulo imunológico do animal, bem como, animais com doenças em período de incubação, conservação e ainda existem raças com pouco estímulo imunológico, sendo necessária uma dose de reforço como os rotwaillers, por exemplo”, detalhou a médica veterinária.

Um dos fatores que aumentam as chances da imunização ser confirmada, segundo a Dra. Rafaela, é a qualidade do medicamento usado na vacinação, o local onde ele será armazenado e do profissional que irá realizar o procedimento. Segundo a veterinária, essas são as vacinas ‘não éticas’, que podem ser manuseadas por qualquer pessoa, não há contra indicações, há somente riscos a sua eficiência.

“As pessoas comentam que as [vacinas] ‘não éticas’ são as de fabricação nacional e [na verdade] a principal diferença é a comercialização desta que é feita por qualquer pessoa, sem orientação correta e sem uma pré-consulta para se saber se aquele indivíduo está apto para receber a vacina”, explicou a especialista. “Também não tem a correta fiscalização da temperatura de armazenamento pelos órgãos competentes já que qualquer um aplica a vacina. Mas não há contra indicação, só o mal armazenamento deve ser questionado”, finalizou.

O importante é manter em dia a vacinação do seu animal para evitar transtornos futuros.

 

*Com consultoria da médica veterinária Rafaela Pastl, que atende nas clínicas Focinho & Cia, na Ponta Grossa e no Santo Eduardo – Maceió-AL: (82) 3221-6998 e (82) 3337.1760.
 

Primeira Edição © 2011