Regiões turísticas avaliam estratégias para construção do Plano Estadual do Turismo

14/08/2012 09:13

A- A+

Divulgação

compartilhar:

Cumprindo mais um marco crítico do Alagoas Tem Pressa, a Secretaria de Estado do Turismo segue com as atividades para construção do Plano Estadual de Turismo, documento pleiteado para ser Lei. A Oficina de validação do Plano Estratégico acontece no Centro de Convenções, nos dias 14 e 15 de agosto, e já apresentou resultados positivos.

Abrindo o evento, a secretária adjunta, Raquel Tenório, reforçou que a construção do documento será feita a várias mãos e convidou: “Vamos dar continuidade para elaboração do Plano”. As potencialidades e gargalos apontados nas oficinas regionais serão expostos durante os dias de atividades e as regiões turísticas avaliam as estratégias sugeridas pelo Instituto de Assessoria para o Desenvolvimento Humano (IADH) – Instituto contratado para consultoria-, para depois validar as ações.

Dentro delas ficaram as potencialidades, como: oferta turística, diversificação de atrativos, produtos para públicos específicos, fatores de potencial aproveitamento, apoio institucional, por exemplo. Já como elementos considerados pontos de estrangulamento, estão: baixa qualificação, acesso limitado, falta de integração, falta de comprometimento dos atores, inexistência de um plano de marketing, ausência de institucionalidades e instrumentos relevantes para o desenvolvimento do turismo. “É importante ressaltar que essas características não são homogêneas, pertencem a regiões específicas”, ressaltou Raquel.

Até a construção do Plano Estadual do Turismo, que está previsto para ser entregue em outubro desse ano, serão realizadas mais quatro etapas. O documento terá validade de dez anos, sendo de 2013 a 2023, ou seja, uma ação de política pública que direcionará as ações com a linha de futuro, independente do Governo em atuação.

Estavam presentes os municípios de Penedo, Japaratinga, Quebrangulo, Marechal Deodoro, Água Branca, Murici, Coruripe, Barra de São Miguel, Piaçabuçu, além de instituições e associações, como ABIH, ABRASEL, IFAL, Desenvolve, SESC, CEDEN, SENAC, SINDLOC, SINGTUR-AL, Maceió Convention, Sebrae, UFAL e representantes de pousadas e empreendimentos.

Algumas atividades já foram realizadas como: entendimentos e documentação, oficinas, grupos de trabalho, análise situacional, agora chegou a vez da validação e das oficinas para discussão. Durante o processo, ainda serão realizados a seleção de indicadores e a construção do marco zero, sistematização do Plano Estratégico de Desenvolvimento do Turismo e avaliações dos resultados.

Primeira Edição © 2011