Campanha de doação de órgãos pelo Facebook ainda não emplacou em Alagoas

Lançada ontem no Facebook, página já tem mais de 25 mil seguidores em todo país

01/08/2012 15:45

A- A+

Marcos Filipe Sousa

compartilhar:

A campanha lançada pelo Ministério da Saúde (MS) para a doação de órgãos começou a se espalhar pelo Facebook. São Paulo é a cidade que mais aderiu a página criada na rede social e em todo o país mais de 25 mil pessoas entraram. Mas em Alagoas o número de adeptos ainda é baixo, o assunto ainda é uma resistência na população.

Segundo o MS a parceria entre Ministério e Facebook permitirá a aproximação do brasileiro com as redes sociais e o Sistema Nacional de Transplantes, criando espaço para que qualquer cidadão possa compartilhar, com privacidade, entre familiares e amigos, sua decisão de ser doador de órgão.

Conversando com alguns internautas alagoanos eles colocaram a sua opinião. A jornalista Pei Fon acredita que poucas pessoas no estado saibam. “Acredito que os usuários já têm o conhecimento sobre a campanha. Mas talvez o assunto não tenha sido divulgado o bastante”.

Já o estudante de Geografia, Thadeus Santos, acredita que seja o medo. “As pessoas são temerosas, claro que nem todas, mas pessoas religiosas, por exemplo, não aceitam doar os órgãos”, explicou. O estudante sugeriu que um video fosse colocado na página inicial como forma de chamar atenção.

A jornalista já analisou de outra forma: “Se pensar que nem todas as pessoas têm um computador em casa e, mesmo que tenham, podem não ter acesso à internet. Dificilmente estes usuários utilizam a rede social para se engajar em alguma causa, é mais para ver recados, compartilhar fotos. Poucos são os que utilizam para uma causa nobre”, disse Fon.

O estudante de medicina Dieggo Melo se viu surpreso com a campanha. "Tenho amigos próximos que trabalham com o assunto e não me falaram nada, ou até mesmo eles, não saibam da campanha", disse.

Na página, o usuário ler um termo explicativo e preenche uma ficha online com dados pessoais. Acesse aqui.


 

Primeira Edição © 2011