Homens podem ajudar gestantes antes, durante e depois do parto

29/07/2012 06:11

A- A+

Divulgação

compartilhar:

O apoio dos homens é fundamental para a tranquilidade das mulheres antes, durante e depois do parto. A ajuda deles deve começar ainda no pré-natal, nas visitas frequentes aos médicos, continuar durante toda a gestação e permanecer após o nascimento do bebê, quando a mulher continua fragilizada física e emocionalmente.

Colaborar para a realização das atividades diárias, por exemplo, além de reduzir a sobrecarga das futuras mamães também faz com que ela se sinta mais segura e amada, o que é fundamental durante o período gestacional.

De acordo com a ginecologista e obstetra Gilmary Cabral, a presença dos futuros papais durante as consultas do pré-natal é importante para que seja feita uma avaliação da situação familiar que pode influenciar no desenvolvimento do bebê. É necessário saber informações referentes ao pai, como se ele tem alguma patologia, e antecedentes familiares como hipertensão e asma, por exemplo.

“Nós temos que pesquisar para saber se o bebê vai herdar ou não esses problemas. Temos que avaliar se o pai é alcoólatra, tabagista ou usuário de drogas, por conta do risco de má formação fetal, se tem alguma doença de caráter genético, enfim, até o tipo de trabalho do pai pode repercutir tanto na qualidade da gestação quanto na formação do feto. No caso de um homem que trabalha no período noturno, por exemplo, a mulher tem medo de ficar só, fica mais estressada. A qualidade de vida do casal acaba repercutindo na gravidez. O homem pode ajudar e muito indo com a mulher ao médico, participando e acompanhando o pré-natal desde o início. Nós fazemos uma avaliação do todo, do casal”, afirma Gilmary.

No dia a dia, a médica ressalta que o homem pode ajudar a diminuir a carga de trabalho doméstico da gestante, já que quando a mulher está grávida, fica cansada mais rapidamente. Realizar atividades domésticas e ajudar no cuidado com os filhos, por exemplo, faz uma grande diferença para a gestante.

“O homem tem que entender que a mulher está sensível, que em um momento vai estar super feliz e logo depois, estressada. Ela vai ter irregularidade no sono ou apresentar outras queixas. É uma pessoa que vai precisar de cuidado, carinho, atenção e, principalmente, paciência”, destaca a especialista.

Ainda no período gestacional, o pai pode ajudar fazendo massagens corporais para reduzir alguns incômodos sentidos pela gestante. “Quando a mulher fica grávida ela usa uma musculatura que geralmente não usava. Além das massagens, o uso de compressas e os exercícios físicos reduzem esses incômodos”, diz.

A atividade sexual durante a gravidez é algo que deve acontecer naturalmente. “O homem deve procurar a parceria para manter o estímulo sexual durante a gravidez. Uma mulher que tem atividade sexual é mais feliz, se sente amada”, fala a ginecologista.

Os futuros papais podem ajudar ainda a dar segurança e tranquilidade às gestantes também na hora do parto, bastando para isso que eles estejam presentes nesse momento especial. A presença de um acompanhante na sala de parto é garantida pela Lei Federal 11.108/05.

Depois do nascimento do bebê, a colaboração dos homens também é muito importante. Eles devem aprender a segurá-lo, realizar os cuidados de higiene e levá-lo até a mãe para que ela o amamente. Dessa forma, ele evita um maior desgaste da mulher.

Primeira Edição © 2011