Rádio Primeira Edição - Ouça agora!

notícias > Brasil/Mundo setas

Pai é preso por matar filho espancado no RJ: 'batia para educar'

18/07/2012 18:14

A- A+

Terra

compartilhar:

Um menino de dois anos foi levado ao Hospital de Jacarepágua, no Rio de Janeiro, na terça-feira, com diversos ferimentos e até uma fratura, e morreu horas após receber atendimento. Os principais suspeitos são o pai do menino, o pedreiro Widemberg de Araújo Souza, 22 anos, e a madrasta, Luana Rodrigues do Nascimento, 23 anos, que estão respondendo por crime de tortura seguida de morte. Ambos os acusados admitiram que batiam no menino, mas justificaram que as agressões tinham somente o objetivo de "educar".

O caso está sendo investigado pela 32ª DP (Taquara)e segundo o delegado Maurício Mendonça de Carvalho, os médicos que atenderam a criança dizem que é provável que a morte tenha acontecido em decorrência de agressões. o menino chegou ao hospital com um fêmur quebrado, além de hematomas e escoriações em diversas partes do corpo.

No depoimento que prestou à polícia, Luana disse que a criança se feriu ao cair da cama. Entretanto, conforme o policial Leandro Pontes, vizinhos do casal, que reside na comunidade de Rio das Pedras, na zona oeste do Rio, declararam que tiveram de chamar a ambulância para socorrer a criança pois a madrasta não queria fazê-lo, com receio de ser presa. Widemberg informou que estava no trabalho quando ficou sabendo que o filho havia sido levado ao hospital.

De acordo com Pontes, a criança morava com o pai e a madrasta há cerca de seis meses.O policial conta que Luana afirmou que era Widemberg o principal responsável pelas agressões, e relatou que ela mesmo já havia apanhado várias vezes quando tentava defender o menino da violência do pai.

Porém, as testemunhas que prestaram depoimento dizem que a rotina de agressões eram constantes, tanto na presença de Widemberg quanto na ausência dele em casa. Alguns vizinhos relataram que Luana costumava ligar o rádio em volume alto para disfarçar os barulhos de gritos e agressões. Outros contaram ter ouvido barulhos de pancadas, como se a cabeça do menino estivesse sendo batida na parede.

Luana e Widemberg já foram encaminhados a presídios, mas Pontes não soube especificar quais.

A mãe biológica do menino seria uma garota de programa que reside em Vitória (ES). Ela já foi avisada por familiares sobre a morte do filho, porém, até o momento, ainda não foi ouvida pela polícia.

O corpo do menino será examinado pelo Instituto Médico Legal (IML), mas ainda não há previsão de quando sairá o resultado do laudo.

* campos obrigatórios

  • Enviar »

@primeiraedicao seta

anterior proximo
  • João Julio da Silva

    Sempma fiscaliza empreendimentos residenciais http://t.co/jLX1ZChiZ5 via @primeiraedicao

  • João Julio da Silva

    Após manifestação de servidores, prefeitura de Arapiraca garante pagamento de salários http://t.co/uCxkdqWfNy via @primeiraedicao

  • João Julio da Silva

    Rede social influencia o voto de 39% dos usuários http://t.co/f8GpEmtlCO via @primeiraedicao

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Primeira Edição © 2011

Plus! Agência Digital