Cuidados no Pet Shop: dicas para não errar na escolha dos 'mimos' para o seu Pet

Com tanta variedade de produtos, veja quais opções são bem vindas e quais podem prejudicar a saúde e o bem estar dos animais de estimação

28/06/2012 07:59

A- A+

Atitude Press

compartilhar:

Todo mundo adora agradar quem ama com mimos e presentinhos. A regra também vale para aqueles que têm quatro patinhas e são verdadeiras fofuras: o animal de estimação. E é claro que ele também merece tais agrados.

Na hora de escolher algo para o pet, o dono deve ficar atento se o presente vai ser realmente benéfico ao animal. As opções são muitas, e aqui vão algumas dicas para escolher mimos que não prejudiquem a saúde e qualidade de vida deles.

Roupinhas
Para combinar com os donos, há todo o tipo de acessórios e modelos de roupinhas para os pets, inclusive peças inusitadas como jaquetas de couro, sapatinhos e afins. De acordo com a veterinária da Vetnil, Isabella Vincoletto, as roupinhas podem ser uma boa pedida principalmente no inverno, época em que os animais de pelo curto e de pequeno porte tremem de frio por causa do clima gelado. A escolha, porém, exige ressalvas. “O adorno pode ser utilizado desde que não prejudique o movimento ou incomode o animal”, alerta. Vale também lembrar que a sensação térmica dos animais não é como a nossa. Assim, colocar uma jaquetinha de couro em um cachorro de pelo longo, por exemplo, será extremamente desconfortável.

Higiene e estética
Se já existem até salões de beleza para pets, o que não falta são produtos de higiene e estética! Shampoos, sabonetes, tinturas e até perfumes para cães e gatos são oferecidos em praticamente todos os pets shops, mas é preciso discernimento para utilizá-los nos animais. “Shampoos ou sabonetes terapêuticos, indicados para utilização no tratamento de problemas de pele, são muito bem aceitos e auxiliam nesta terapia, porém os outros tipos de produtos que têm a função apenas de limpeza ou higiene podem ser utilizados desde que haja orientação do médico veterinário e sejam específicos para os animais”, comenta a profissional.

Os desodorantes e tinturas são capazes de causar algum tipo de reação nos pets, principalmente os perfumes, que podem, inclusive, prejudicar o olfato do animal. “Além de serem utilizados de forma exagerada, esses produtos não são necessários para os cães, é algo para agradar o dono, por isso deve haver sempre orientação do veterinário responsável pelo pet”, completa a veterinária.

Muito mais importante do que cuidados estéticos é a profilaxia do animal. A higiene das regiões mais “escondidas” do corpo do pet é fundamental para evitar o surgimento de doenças e complicações. Manter a orelha do bicho sempre limpa, por exemplo, evita o mau odor na região e previne infecções e inflamações que tanto incomodam cães e gatos. Para tal, a dica é o uso do produto Aurivet Clean. Fácil de aplicar, a fórmula desenvolvida pela Vetnil é eficaz na higienização da região auricular.

Guloseimas
Chocolates, sorvetes, biscoitinhos e outras guloseimas são irresistíveis para nós humanos e também para os pets, por que não? Apesar de já existirem esses gêneros alimentícios próprios para cachorros, eles não devem fazer parte da dieta do animal. Para Vincoletto, esses produtos devem ser oferecidos como um agrado, algo eventual e não diário. “Petiscos, de forma geral, não devem ser oferecidos sem o animal ter feito algo, ou seja, não devem ser dados devido a um simples olhar pidoncho. Isto promove uma submissão do dono ao animal, criando assim uma inversão de liderança. Os pets devem ingerir a ração própria para eles”.

Como opções saudáveis de petiscos para cães a veterinária indica o Pet Active Palitos e o Pet Active Pró-Bife, da Vetnil. Com alta capacidade pré e pró-biótica, os produtos são fontes de vitaminas e aminoácidos e atuam no processo digestivo, ajudando a manter um ambiente intestinal saudável, regulando a consistência e o odor das fezes.

Bom para cachorro (e para gato também!)
Mais do que presentinhos, acessórios ou guloseimas para o seu bichinho, importante mesmo é dar atenção, amor e cuidado ao animal. Não se esqueça que ele é um ser vivo, e não um bibelô! Vale seguir a dica da veterinária: “Os pets são fonte inesgotáveis de afeto e carinho. Curta com eles!”.

Primeira Edição © 2011