Maceió: cadelinha resgatada é diagnosticada com cinomose, mas já passa por tratamento

Lex foi encontrada na calçada do Sesc Poço, diagnosticada com cinomose, animal está em tratamento, mas protetores precisam de ajuda

25/06/2012 06:55

A- A+

Jessica Pacheco

compartilhar:

A cinomose canina é uma das doenças mais freqüentes entre os cães domésticos e de alto contágio entre os mesmos. Trata-se de um vírus transmissível via respiração — a mais comum —, via conjuntiva e digestiva, por contato direto com as secreções dos olhos ou da boca do animal. Atualmente, a cinomose é considerada a doença canina de mais difícil diagnóstico, pois pode ser facilmente confundida com outras enfermidades, apenas um exame sanguíneo pode identificar a doença. A doença pode levar o animal à morte, mas há tratamento veterinário a base de antibióticos forte.

Em Maceió, protetores animais vêm divulgando um caso recente de uma cadelinha encontrada na porta do SESC Poço no último dia 6 de junho. Batizada de ‘Lex’, a cadelinha foi encontrada bastante debilitada, “ela não saia de uma mesma posição e só mexia os olhos”. Protetores a recolheram e um exame de sangue diagnosticou a cinomose avançada no animal, que já está em tratamento veterinário a base de antibióticos fortes.

O animal foi encontrado pela protetora animal Monique Taciane, que se compadeceu da situação da cadelinha e encaminhou um pedido de ajuda nas redes sociais.

Divulgação“Eu não podia recolher aquele animal, pois já estava arcando com os gastos de outro cachorrinho, não tinha condições de acolher mais aquele, por isso postei a foto dela para ver se alguém mais ajudava”, explicou Monique. Segundo ela, a foto divulgada mobilizou as pessoas que prometeram ajudar se, ela [Monique] acolhesse o caso dessa cadelinha.

No dia seguinte, 7 de junho, Monique, juntamente com mais três protetores, foram até a porta do Sesc Poço e recolheram a Lex e a encaminharam a Clínica Animais.com na Serraria.
“Até então não sabíamos que ela era portadora da cinomose”, disse Monique.

Lex foi consultado pelo veterinário Dr. Paulo César que suspeitou da doença e encaminhou um pedido de exame sanguíneo. E como era suspeita de cinomose, Lex não poder ficar internada na Clínica, pois havia risco de contagio para os outros animais que lá estavam.

Divulgação

“Depois de muita procura, conseguimos arrumar um local improvisado para ela ficar enquanto viabilizamos o tratamento”, explicou.

Divulgação

Lex foi abrigada na casa de uma outra protetora, no Barro Duro, onde se encontra até o momento. A divulgação do caso nas redes sociais vem ajudando na obtenção dos medicamentos necessários para o tratamento, assim como alimentos. Mas como tratamento veterinário é bastante caro, os protetores resolveram realizar uma rifa em prol da Lex.

“Não gosto de ‘pedir dinheiro’, soa picaretagem, e não é esse o caso, por isso pensamos na rifa. A conta do veterinário já vai em mais de 700 reais e ainda precisamos comprar um tipo de ração especifica para Lex”, explicou Monique. “Mas no fim de tudo, fico feliz que a Lex está se recuperando. Isso mostra que a cinomose é apenas um vírus e não uma doença terminal, ela tem tratamento, tem cura, só deixa algumas seqüelas”, vibrou Monique. “Mas o que não deixa sequelas nessa vida? Essas sequelas, a Lex carregaria de qualquer forma, ela é uma prova viva de descaso, de abandono”, completou.

Divulgação

Então, quem quiser comprar uma rifa em prol da cadelinha Lex, basta entrar em contato com Monique pelos números (82) 8815-9099/ 9934-9099. Ou quem puder contribuir com qualquer valor do tratamento do animal, basta ir a Clínica Animais.com, localizada na Rua Professor Robson Geraldo Costa, 4 qd F - Serraria , telefones: (82) 3371-9032 /(82) 8802-4576, e falar que é uma contribuição para a Lex, ou depositar na conta da Clínica e avisar com comprovante a Monique através do facebook.

Mais informações sobre Lex, clique aqui.

BANCO DO BRASIL
AG: 5726-6
CONTA: 16.625-1
NOME: Eva. V. A. de Lima 

galeria de fotos seta

Primeira Edição © 2011