Deputados voltam a criticar governo pelos altos índices de violência

Durante sessão ordinária desta quarta, 20, Medeiros, Cabral e Calheiros culparam falta de investimento pela violência

20/06/2012 13:37

A- A+

Thayanne Magalhães

compartilhar:

O deputado estadual Ronaldo Medeiros (PT) usou a tribuna da Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE), na tarde desta quarta-feira (20), para criticar os índices de violência no estado e o que ele considera como descaso do governo. “Foi preciso morrer mais de mil pessoas para que o estado reagisse”, criticou.

De acordo com o parlamentar, o Plano de Segurança em Alagoas seria uma cópia do Pacto Pela Vida implantado no estado vizinho, Pernambuco, há mais de quatro anos. “Vão distribuir o estado em distritos, assim como foi feito em Pernambuco, informatizar a polícia. Serão investidos 28 milhões pela União e mais 18 milhões pelo governo do estado”, explicou.

Medeiros criticou a falta de estrutura das polícias e afirmou que das 604 solicitações de perícia, mais de 97% estão paralisadas, que 412 inquéritos policiais estão parados há cerca de um ano, que cerca de 3 mil laudos periciais estão paralisados, o que prejudica as decisões judiciais. Afirma ainda que mais de três mil mandados de prisão também estão parados. “A culpa não é dos policiais e nem dos delegados, mas do governo. E a Justiça acaba absolvendo bandidos porque não existem provas para mantê-los presos. O sistema não dá condições para que a polícia e a Justiça cumpram seus trabalhos”.

Educação contra a violência

“Não adianta só investir na polícia se nós continuarmos com políticas públicas paralisadas. Não adianta construir mais presídios e não cuidar do que gera homicídios e injustiças”, opinou o parlamentar, afirmando que é preciso maior investimento na educação e em políticas públicas que retirem os jovens da ociosidade.

“Será que o estado passou esse tempo todo vendo o estado exemplo do estado vizinho, que já conseguiu reduzir quase 50% dos homicídios, e mesmo assim continuamos crescendo em índices de homicídios, sendo campeões? Só depois da morte do médico, depois que a sociedade de mobilizou nas redes sociais, é que estamos vendo alguma reação”, criticou.

Judson Cabral (PT) concordou com o pronunciamento de Medeiros e também criticou o governo. “A ação do governo para a redução da violência, não é prioridade”, opinou o petista, que afirmou ainda que a verdadeira violência que aflige Alagoas, é o descaso oficial.

“O governo precisa fazer seu dever de casa. Não queremos só criticar, queremos buscar soluções”, concluiu.

Olavo Calheiros (PMDB), reforçou suas críticas da última sessão ordinária, nesta terça-feira (19), e criticou o atraso com que o governo toma providências contra a violência. “O governo desmotivou a Polícia Civil e não prestigiou o Polícia Militar”, critica.

O parlamentar comentou ainda que estados com condições socioeconômicas semelhantes ao estado de Alagoas conseguem diminuir a violência. “Se copiar o projeto de Pernambuco foi a forma que o governo encontrou para combater a violência, que o faça. Que venha devolver a tranquilidade do alagoano”.
 

Primeira Edição © 2011