Processo contra Toninho será julgado pelo Pleno do TJ na próxima terça

Processo foi tirado da pauta do Pleno do Tribunal de Justiça na manhã de hoje

19/06/2012 06:41

A- A+

Marigleide Moura

compartilhar:

Estava previsto para ser apreciado em uma sessão ordinária na manhã de hoje,19, pelo Pleno do Tribunal de Justiça de Alagoas, um processo contra Antônio Lins de Souza Filho, o Toninho Lins, prefeito afastado de Rio Largo. No entanto, os desembargadores tiraram de pauta o processo e o julgamento deve acontecer na próxima terça-feira, 26.

O processo de Toninho, segundo informações do TJ, refere-se a crimes contra a fé pública, falsidade ideológica, e crime contra a paz pública, formação de quadrilha ou bando.

Além do processo de Toninho, o Pleno deve julgar outros processos oriundos de unidades judiciárias da Capital e Interior do Estado, tendo como relatores os desembargadores Orlando Manso, Otávio Praxedes, Washington Luiz, Elisabeth Carvalho e Pedro Augusto

Toninho é acusado de apropriação de bens e renda pública em proveito próprio, alineação de bem público em desacordo com a lei, falsidade ideológica, dispensa ilegal de licitação e formação de quadrilha.

O prefeito é acusado de chefiar um esquema que vendeu terras com área total de 252,40 hectares, situadas às proximidades da Rodovia BR 104, entre Rio Largo e Maceió, onde seria utilizada para programas habitacionais, preferencialmente à população de baixa renda, mas que teriam sido alienadas a empresa MSL Empreendimentos Imobiliários LTDA, sem concorrência pública, por R$ 700 mil.

Toninho Lins foi afastado do cargo na segunda-feira, dia 11 de junho. Ele está preso desde o dia 22 de maio e estava despachando de dentro do prédio da Academia de Polícia Militar, em Maceió, onde está detido. Toninho também já havia sido afastado do partido dia 23 de maio.

O juiz da segunda Vara da Comarca de Rio Largo, Ayrton Tenório, determinou o afastamento de Toninho do cargo até a conclusão da instrução do processo por ação de improbidade administrativa impetrado pelo Ministério Público Estadual (MPE).
 

Primeira Edição © 2011