Médicos x Veterinários: Mitos e Verdades sobre as doenças transmissíveis por animais ao homem

Despreparo e analises incorretas podem aumentar índice de abandono de animais. Confira mitos e verdades com a veterinária Rafaela Pastl

14/06/2012 07:28

A- A+

Jessica Pacheco

compartilhar:

Existem muitas dúvidas e especulações a respeito das doenças que são transmitidas pelos animais, as chamadas zoonoses. Como são transmitidas? Quais os animais que podem conE as especulações, até por parte de médicos de humanos, em sua maioria são infundadas, e podem resultar no abandono de nas ruas, para falar sobre mitos e verdades

Médicos de pessoas por vezes propagam meio que um ‘terror’ para as pessoas e muitas vezes isso causa o abandono do animal de estimação.

“Se você é alérgico, então se livre do gato ou do cachorro” – “Asma e felinos não combinam” – esses e outros ‘mitos’ podem resultar no aumento de abandonos de animais nas ruas e, pior, algumas das informações são totalmente infundadas, pelo menos é o que explicou a médica veterinária Rafaela Pastl.

Segundo ela, esse despreparo da medicina humana em relação a zoonoses e os aspectos animais é tão verdadeira que já existe uma liberação para a contratação de médicos veterinários em Programa de Saúde da Família (PSF) do Município, justamente para o acompanhamento de pacientes contaminados com alguma zoonose.

“Sempre dou o meu exemplo quando fiquei grávida. Quando um médico mandar se desfazer do seu animal, mude o seu médico. Ainda bem que minha obstetra era amante dos animais e sabia muito bem dos principais ricos e dos cuidados que devemos ter para se evitar uma zoonose”, disse a Dra. Rafaela.

Foto por Luciano JoaquimMitos e verdades sobre as doenças transmitidas por animais ao homem:

1. A mordida ou baba do cachorro transmite a raiva?

A saliva do animal contaminado é o principal meio de contaminação da raiva, tanto dos cães como dos morcegos e primatas.

2. "Cachorro que baba ou espuma é cachorro louco?

Nem sempre... O animal com raiva tem paralisia nos músculos da mastigação, por isso que ele não consegue deglutir a saliva e nem beber água, e dessa forma ele tem hidrofobia e também sialorréia (salivação excessiva); Mas animais estressados também podem salivar.

3. Cachorro que corre em volta do rabo está louco?

Não, normalmente o animal corre atrás do rabo para brincar ou por mania;

4. O gato transmite doença para mulher grávida?

Pode. Além de alguns vermes causarem problemas dermatológicos como a larva migrans que é transmitida pela larva do Ancylostoma, transmitida também pelos cães, a doença que mais se tem preocupação em relação às grávidas é a toxoplasmose, transmitida pelo protozoário toxoplasma gondii, e que pode causar problemas neurológicos no feto e cegueira, mas a doença só é transmitida pelas fezes de animais não vermifugados. Contudo a principal forma de infecção é pela ingestão de carne crua ou mal passada principalmente bovina, por isso a discriminação dos médicos humanos em relação a criação de felinos durante a gestação.

5. Cachorro na praia transmite doenças?

Sim, mas somente animais não vermifugados.

6. O gato é prejudicial para pessoas/crianças com asma ou alergias?

A alergia é em relação ao ácaro presente nos pêlos dos gatos, mas existem estudos sobre uma enzima presente no pêlo do mesmo que desenvolve a alergia nas pessoas, foi até desenvolvido um gato em laboratório com mutações genéticas para que esses animais e seus descendentes não carreguem em seu DNA essa enzima

7. O gato também tem AIDS?

Não é a mesma AIDS do ser humano, é uma doença que acomete apenas os felinos e que compromete o sistema imunológico do animal, é a Síndrome da Imunodeficiência Felina Adquirida, FIV.

8. O xixi de rato transmite doenças?

A urina do rato transmite a Leptospirose, e também a urina do cão, até pouco tempo achava-se que a urina do rato era a única fonte de contaminação.

 

O IMPORTANTE É MANTER OS ANIMAIS VACINADOS, VERMIFUGADOS E SEMPRE SOBRE O ACOMPANHAMENTE DE UM VETERINÁRIO.

 


Com Consultoria da médica veterinária Dra. Rafael Pastl, que atende pelas Clínicas Focinho & Cia, na Ponta Grossa - (82) 3221-6998; e no Santo Eduardo (82) 3337.1760. 

Primeira Edição © 2011