Deixe os pets quentinhos no frio

Veterinários recomendam atenção especial ao bem-estar dos animais de estimação durante o inverno

11/06/2012 09:36

A- A+

Rede Bom Dia

compartilhar:

Dona de quatro cachorros, a empresária Beatriz Lopes Lima já sabe muito bem que a chegada do frio exige mudança de hábitos dentro de casa.

Os seus lhasa-apsos e shitzus ganham roupinhas quentinhas, que são trocadas e lavadas com frequência, além de um reforço na ração. “Às vezes, chego até a dar ração de filhote, que é mais reforçada, para eles ficarem bem”, conta.

Fora isso, este ano os quatro cachorros receberam doses de vacina de gripe.

Não é porque o cachorro ou o gato possui pelos que não sentem frio e estão imunes a doenças. Algumas medidas devem ser tomadas para que consigam enfrentar as baixas temperaturas sem sofrer nenhum dano em sua saúde.

Um dos primeiros itens da lista de cuidados é manter os animais em locais protegidos de vento, chuva, sereno, entre outros. A recomendação vale para pets de todas as faixas etárias. “Se o animal dorme em área externa, é preciso que tenha sua casa ou canil”, avisa o médico veterinário e diretor clínico do Hospital Pet Care, de São Paulo, Marcelo Quinzani.

Os cães de idade avançada ou que sofrem com problemas ortopédicos tendem a sentir mais dor nos dias frios e devem ser agasalhados.

Pronto-socorro/ A traqueobronquite, chamada de tosse dos canis, é a principal doença que aparece no período frio do ano. Esta doença, causada por vírus ou bactéria, é contagiosa e afeta diretamente os cães, independentemente da idade. É uma das enfermidades mais comuns em cães e que piora quando os animais ficam agitados ou durante a prática de exercício físico.

Quando forem observados sintomas como secreção nasal, febre ou falta de apetite, é preciso procurar um veterinário.

Porém, a doença é facilmente prevenida com uma vacina que deve ter a primeira aplicação feita quando o cão completar quatro meses de vida, além de reforço anual.

Felinos também podem sofrer de doenças respiratórias, como a rinotraqueíte infecciosa, que é causada por vírus e bactéria e pode ser prevenida com vacinas. Por isso, quando o gato apresenta alterações no espirros, tosse e falta de apetite, é bom procurar o veterinário.

Além da vacina, cuidados como manutenção do ambiente limpo, ventilado e isolamento dos gatos doentes também são importantes para a prevenção.

Dicas para o inverno

> O banho, com um intervalo de uma semana para cachorros que ficam dentro de casa, precisa ser bem quentinho e recomenda-se usar um xampu hidratante, já que, nesta época, a pele do animal, assim como a nossa, fica mais ressecada, prato cheio para o prurido (coçeira)

> Já para os gatos, os banhos podem ser mensais, mas é necessario escová-los com frequência para retirar a pelagem morta

> Manter o animal em um local fechado, livre de correntes de ar e com panos de algodão, nada de material sintético

> A roupa pode ser necessária em animais de pelagem curta ou que fizeram tosa recente, sendo preferível as de algodão. Devem ser colocadas à noite e retiradas pela manhã para que a pele do animal possa respirar naturalmente.

> Animais também são vítimas de problemas respiratórios, porém, os mais comuns podem ser previnidos com vacinas. Consulte o veterinário de sua confiança

> Com relação a alimentação, nada além de ração e água filtrada.

> Filhotes não conseguem regular a temperatura corpórea, por isso, devem ficar dentro de casa e aquecidos, mesmo as raças de grande porte
 

Primeira Edição © 2011